Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Malawi e Vale-Moçambique acordam construção da linha Moatize/Nacala

O governo do Malawi e a companhia mineira Vale Moçambique assinaram, segunda-feira, em Lilongwe, capital malawiana, um Memorando de Entendimento para construção de uma linha férrea para o escoamento do carvão de Moatize, em Tete até ao Porto de Nacala.

O acto foi testemunhado pelo Ministro dos Transportes e Comunicações Paulo Zucula. A ferrovia, que está avaliada em dois biliões de dólares norte-americanos, deverá passar pelo território malawiano, servindo de alternativa para o escoamento do carvão mineral da reserva de Moatize, considerada uma das maiores reservas do mundo, reporta a Rádio Moçambique (RM).

Galib Chaim, director-geral da Vale–Moçambique, diz que a assinatura do Memorando de Entendimento com o Malawi constitui o ponto de partida para um conjunto de acções subsequentes para a construção da linha férrea de Moatize até ao Porto de Nacala, visando dar resposta a logística de escoamento do carvão.

A distância que separa a vila mineira de Moatize, em Tete, do Porto de Nacala, na província nortenha de Nampula, esta calculada em cerca de 900 quilómetros.

Enquanto isso, a Vale Moçambique deverá iniciar no segundo semestre deste ano a exportação do carvão mineral através do porto da Beira, cuja terminal já se encontra em fase de construção.

A ideia é iniciar com a exportação de um 1,5 milhões de toneladas de carvão, com perspectiva de crescimento até 2013. O carvão de Moatize deverá ser exportado para Brasil, Europa, China, Índia e Japão, considerados como potenciais mercados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!