Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mais de 500 famílias sem abrigo em Gaza

Inúmeras pessoas nas árvores e sobre os tectos das casas devido às cheias, mais de 500 famílias sem abrigo, algumas escolas inundadas, vias de acesso intransitáveis e outras condicionadas, é o rescaldo preliminar dos prejuízos causados pela água que transborda do rio Limpopo e de outras bacias em consequência da chuva que assola a província de Gaza, Sul de Moçambique, segundo os dados disponibilizados esta quinta-feira (24) pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades em Maputo.

De acordo com aquele organismo, das famílias afectados, 49 foram evacuadas do distrito de Chilembene e as restantes da região de Chihaquelane. No distrito de Chókwè e na cidade de Xai-Xai ainda há muitas pessoas penduradas nas árvores e sobre os tectos e a precisarem de resgate urgente.

A situação torna-se mais crítica porque falta combustível para abastecer os camiões que deveriam transportar os produtos alimentares para as áreas afectadas, embora não sejam suficientes para responder ao crescente número de pessoas assoladas pelas enxurradas. Há igualmente exiguidade de produtos de higiene, tendas, embarcações, dentre outros.

Entretanto, o Conselho Técnico de Gestão de Calamidades tomou medidas cautelares para fazer face ao problema. Aumentou três barcos para evacuação das vítimas. Neste momento há 12 embarcações para cumprir esta tarefa, mas ainda são pouco poucas para responder às necessidades dos afectados. Os militares foram também accionados para prestarem ajuda e três centros de acomodação estão a funcionar em Guijá, Chihaquelane e Hoquê.

A ministra da Administração Estatal, Carmelita Namashulua recomendou que os intervenientes directos nos resgates devem garantir pronto-socorro às vítimas que se encontram em iminente perigo e criem condições para transportar alimentos e outros produtos até às zonas afectadas.

A governante recomendou ainda que haja mobilização urgente de material de abrigo, reforço do pessoal médico e demais medidas para socorrer as vítimas e evacuar os que estão aflitos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!