Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Coreia do Norte promete testes atómicos tendo EUA como alvo

A Coreia do Norte disse, Quinta-feira (24), que irá realizar novos lançamentos de foguetes e testes de armas nucleares tendo os Estados Unidos como alvo, numa dramática elevação do tom das suas ameaças contra o seu “inimigo declarado”.

O anúncio feito pelo principal órgão militar norte-coreano ocorre um dia depois de o Conselho de Segurança da ONU aprovar uma resolução que condena a Coreia do Norte por ter lançado um foguete em Dezembro, violando sanções internacionais anteriores.

“Não estamos a disfarçar o facto de que vários satélites e foguetes de longo alcance que iremos disparar e um teste nuclear de alto nível que iremos realizar estão direccionados aos Estados Unidos”, disse a Comissão Nacional de Defesa da Coreia do Norte, segundo a agência estatal de notícias KCNA.

A Coreia do Sul e outros observadores acreditam que a Coreia do Norte está “tecnicamente pronta” para um terceiro teste nuclear, e a decisão de ir adiante depende do dirigente Kim Jong-un.

A China, único aliado diplomático importante da isolada Coreia do Norte, concordou com a nova resolução da ONU, assim como havia aceite a imposição de sanções após testes nucleares feitos por Pyongyang em 2006 e 2009.

A chancelaria chinesa pediu calma e moderação à Coreia do Norte depois do anúncio da Quinta-feira, e propôs a retomada da negociação multilateral para a desnuclearização da península coreana, um processo que envolveu EUA, China, Rússia, Japão e as duas Coreias.

Os analistas dizem que a Coreia do Norte pode realizar o seu teste já em Fevereiro. Uma hipótese é que Pyongyang faça a explosão coincidir com o aniversário do falecido líder Kim Jong-il, a 16 de Fevereiro.

“A Coreia do Norte vai se sentir traída pela China por ter acatado a mais recente resolução da ONU, e podem estar a voltar-se também “, disse Lee Seung-yeol, pesquisador-sénior do Instituto Ewha de Estudos da Unificação, em Seul.

Washington reagiu à declaração norte-coreana pedindo imediatamente a Pyongyang que não realize o seu terceiro teste nuclear.

“Se a Coreia do Norte testa ou não é algo que cabe à Coreia do Norte”, disse Glyn Davies, principal enviado diplomático de Washington para a diplomacia com a Coreia do Norte, durante uma visita a Seul.

“Esperamos que não faça isso. Pedimos que não façam isso”, disse Davies após uma reunião com autoridades sul-coreanas. “Este não é o momento de elevar as tensões na península coreana.”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!