Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mais de 5 mil pessoas terão água potável em Homoíne este ano

Mais de 5000 pessoas da vila de Homoíne, no sul da província de Inhambane, terão acesso à água potável até o fim deste ano em virtude da reabilitação do pequeno sistema que alimenta a sede daquele distrito.

As obras consistem no melhoramento de todo o sistema, designadamente o aumento da capacidade de captação e armazenamento, substituição da conduta adutora, incluindo o de tratamento e distribuição da água.

O director das Infra-estruturas no distrito de Homoíne, Orlando Jovane, afirma que o número de ligações domésticas passará das actuais 150 para 300, numa rede de distribuição estimada em 2000 metros.

Na fonte serão instaladas duas electrobombas, facto que elevará a capacidade de captação dos actuais 30 para 60 metros cúbicos por hora.

“Actualmente, muitas instituições do Estado e residências da população que se encontram no centro da vila não têm acesso a água canalizada, por isso não prevemos expandir para os bairros da vila. A prioridade é garantir que a zona do cimento tenha água. Caso se note a existência de uma capacidade remanescente, vamos identificar os bairros prioritários”, explicou Orlando Jovane.

As obras são financiadas pelo Governo, com fundos da Administração de Infra-estruturas de Abastecimento de Água e Saneamento (AIAS), uma instituição do Ministério das Obras Públicas e Habitação.

O projecto, avaliado em 5.5 milhões de meticais, com um prazo de execução de oito meses, prevê igualmente a abertura de mais três fontanários em igual número de bairros da vila de Homoíne. Com a materialização da iniciativa, o número de fontanários também vai registar um incremento de quatro para sete.

A nossa fonte acrescentou ainda que depois da conclusão das obras, prevista para Dezembro deste ano, o governo distrital deixará de gerir o sistema. Assim, tal responsabilidade passará para um privado a ser apurado através de um concurso público.

“Em princípio será um gestor identificado localmente com experiência na área”, sublinhou Orlando Jovane.

Esta medida, de acordo com a nossa fonte, contribuirá de certa forma para disciplinar alguns cidadãos que ultimamente não pagam as facturas de água, alegadamente porque o empreendimento é do Estado.

Refira-se que neste momento muitos residentes da vila de Homoíne não têm acesso a água potável. O sistema funciona com restrições e a pouca água que chega a algumas residências não é tratada. A população recorre aos riachos para ter acesso ao chamado precioso líquido.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!