Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Mais de 400 crianças recuperadas pela Polícia da República de Moçambique

A Polícia da República de Moçambique (PRM) em Manica, Centro do país, retirou, este ano, mais de 400 crianças das ruas, que fugiram de situações de violência nas suas casas.

De acordo com fonte daquela corporação, entre Janeiro e Novembro, 485 crianças foram tiradas das ruas e reintegradas nas famílias. Em 2010, 566 crianças foram recuperadas das ruas, segundo as estatísticas do Gabinete de Atendimento à Mulher e Criança Vítimas de Violência Doméstica (GAMCVD), ligado à Polícia.

Belmiro Mutadiua, portavoz da PRM em Manica, disse que as crianças procuraram abrigo nas ruas depois de crises sociais no seu lar, como violência física e psicológica, além de privação de alimentação, decorrentes de conflitos entre os pais.

“Este ano uma criança foi remetida ao Hospital distrital de Manica para reabilitação psicossocial na sequência dos traumas causados por violência e será encaminhada para um abrigo de menores. As outras crianças foram reintegradas nas respectivas famílias”, explicou Belmiro Mutadiua.

Ainda segundo a Polícia, a persistência da violência dos progenitores, mesmo depois de sensibilizados, tem contribuído para o elevado número de crianças que abandonam lares em Manica, contribuindo, assim, para a alta taxa de mendicidade entre crianças.

“A criança é encaminhada para o abrigo quando achamos que o ambiente do lar não é favorável para o seu desenvolvimento psicossocial, devido à violência. Estamos também a desenvolver palestras para consciencializar a população sobre este fenómeno”, frisou Mutadiua.

Dados da Polícia indicam que, nos últimos 11 meses, 1593 queixas sobre violência, mais de metade ligadas a conflitos entre o casal, foram registadas pelo GAMCVD em Manica.

Em 2010, 2440 queixas deram entrada no gabinete, quase 30 porcento das quais de homens violentados (física, psicológica e sexualmente) pelas mulheres.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!