Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Líder da Al Qaeda pede aos tunisinos a defesa de lei islâmica

O líder da Al Qaeda pediu aos tunisianos, Domingo, para defenderem a lei islâmica perante um partido islamita que venceu as eleições no país do norte da África prometendo não impor a sharia.

Numa gravação de áudio atribuída a Ayman al-Zawahri e divulgada nos sites muçulmanos, o líder da Al Qaeda disse que o partido islâmico da Tunísia, Ennahda, que governa com partidos laicos, havia traído a si próprio assim como a religião.

“Já viste um hospital que diz não estar no ramo de cuidar dos doentes, ou uma farmácia que diz não ter nada a ver com a venda de remédios, ou um exército que diz não lutar?”, perguntou.

“Eles estão a inventar um Islão aceitável ao Departamento de Estado norte-americano, à União Europeia e ao… Golfo”, disse.

“Um Islão… que permite salões de jogos, praias de nudismo e bancos que usurpam, leis seculares e submissão à lei internacional.” “Venha ajudar as práticas do seu profeta e não aceite nenhum substituto para a sharia.”

Enquanto os muçulmanos ortodoxos não tiveram um papel importante na revolução que depôs Zine al-Abidine Ben Ali, a disputa sobre o papel da religião no governo e na sociedade cresceu desde então como o assunto mais polémico na política tunisiana.

Os islâmicos salafitas querem um papel mais amplo para a sharia na nova Tunísia, alarmando elites laicas que temem que eles buscam impor as suas visões e minar a nascente democracia do país.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!