Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Laboratório inicia com testes em milho e feijões

O Laboratório de Aflatoxinas da Universidade Lúrio (UNILÙRIO) iniciou este ano a realização de análises de milho e feijões destinadas a avaliar o nível de contaminação por fungos daquelas duas culturas, bem como os seus conteúdos nutricionais. 

Segundo Ibraimo Chabite, gestor do laboratório daquele estabelecimento de ensino superior, as primeiras análises efectuadas em algumas variedades de semente da cultura de milho praticada por grande parte dos produtores do movimento associativo na provincia de Nampula, indicam que os níveis de aflótixina continuam muito baixos. De acordo, ainda, com a fonte, os níveis de aflotoxina que têm afectado grande parte de culturas deve-se em parte, à má conservação dos produtos depois da colheita, sobretudo nos processos de comercialização.

O nosso interlocutor revelou, por outro lado, que as análises que têm vindo a ser efectuadas por aquele laboratório, o amendoim continua a constituir a cultura com elevados níveis de contaminação, o que dificulta a sua colocação no mercado internacional. Referiu, a propósito, que devido às crescentes solicitações e ao impacto das actividades levadas cabo, subiram para 25 o número de testes diários, havendo previsão deste numero vir a crescer progressivamente.

Chabite revelou, por outro lado, que este ano foi rubricado um acordo com o Programa Mundial de Alimentação (PMA) para a realização de testes das culturas de milho e feijões produzidos por algumas associações assistidas pela IKURU e CLUSA, o que irá determinar a exportação de grandes quantidades daqueles produtos. Refira-se que nos finais do ano passado foi exportada para Inglaterra uma quantidade significativa de amendoim, depois do teste realizado naquele laboratório ter concluído que os níveis de aflotoxina eram muito baixos e obedeciam às exigências do mercado internacional.

Há dias uma missão das Nações Unidas e representantes de alto nível da IKURU e CLUSA manifestaram-se agradavelmente impressionados com a visita efectuada àquela instituição de ensino, tendo elogiado, sobretudo, os trabalhos que estão a ser desenvolvidos na área de investigação agrícola.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!