Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Jovem detido por tráfico de cocaína mas alega ter sido enganado por um brasileiro

Jovem detido por tráfico de cocaína mas alega ter sido enganado por um brasileiro

Foto de Emildo SamboA Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve, na semana passada, em Maputo, em ocasiões e lugares diferentes, seis jovens por prática de diversas actividades crimes. Um dos indivíduos é acusado de tráfico drogas e confiscou-se, em sua posse, um quilograma de uma substância que se presume que seja cocaína.

O visado, de 34 anos de idade, responde pelo nome de M. Tomane e vive no bairro da Polana Caniço, periferia da urbe. Orlando Modumane, porta-voz do Comando da PRM, na capital do país, afirmou que o indiciado foi preso quando acabava de desembarcar de um avião vindo de Angola. Acredita-se que é um traficante internacional de narcóticos.

Segundo as declarações do suspeito à imprensa e às autoridades policiais, ele nunca se envolveu em tráfico de estupefacientes, foi trapaceado por um amigo. A história começou com uma alegada tentativa de venda de pedras preciosas obtidas algures na Ilha de Moçambique, província de Nampula.

M. Tomane contactou o suposto amigo, do qual pretendia saber se o material em causa era ou não original e tinha valor comercial.

Orlando Modumane disse que uma investigação levada a cabo permitiu concluir que o indivíduo é um traficante de drogas.

“A pessoa disse-me que as pedras só” eram comercializáveis “no Brasil e ela organizou a viagem”, porque “eu disse que não tinha como chegar lá”, defendeu-se o jovem, que chegado àquele país hospedou-se num hotel, de onde manteve contanto com o suposto comprador. “Deram-me dinheiro mas disseram que era muito e era proibido levar no avião”.

Das alegadas elevadas quantias, o cidadão só recebeu 1.000 USD para gastos durante a viagem e teria o restante montante em Maputo.

Na circunstância, o acusado recebeu do seu cliente uma mala e ordens expressas para nunca levá-la para a sua casa, mas sim, deixar nas mãos da mesma pessoa que custeou as despesas de viagem para o Brasil.

Chegado no Aeroporto Internacional de Maputo, M. Tomane telefonou para o dono da encomenda, o qual disse que estava num carro, do lado de fora daquele recinto. Porém, a mala acabou nas mãos da PRM, por conter a referida substância com características idênticas as da cocaína.

Na semana em análise, a entidade que tem como função garantir a segurança e a ordem públicas e combater infracções à lei, privou a liberdade de 69 indivíduos, supostamente por envolvimento em crimes contra património e pessoas.

R. Mbedzane, de 23 anos de idade, também residente no bairro da Polana Caniço, faz parte desse grupo.

De acordo com ele, a detenção resultou do facto de ter achado uma pasta contendo duas pistolas, que na sua opinião são brinquedos. Ele e o amigo foram incriminados de porte ilegal de armas de fogo.

O comparsa alegou que não sabe porque razão está preso e acusou os agentes da Lei e Ordem de o ter torturado na esquadra, supostamente porque “dizem que sou conservador de armas”.

Numa outra operação, a corporação desmantelou cinco quadrilhas que sobreviviam de actividades ilícitas nos bairros de Maxaquene, da Polana e do Ferroviário.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!