Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Jovem detido em Tete acusado de profanação de túmulos e canibalismo

Na sequência da exumação e roubo de cadáveres, sobretudo de crianças com menos de cinco ano de idade, numa comunidade, arredores da cidade de Tete, província com o mesmo nome, a Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve um cidadão acusado de canibalismo, e fê-lo escapar do linchamento que seria protagonizado pela população. O indiciado foi surpreendido com partes do corpo humano numa panela e servidas a um dos familiares que denunciou o acto às autoridades.

O presumível canibal foi detido na segunda-feira (22), na unidade comunal de Chimadzi, onde a 13 de Janeiro em curso, os residentes descobriram que pelo menos nove campas de crianças e adultos tinham sido reviradas, os caixões desenterrados e os corpos roubados no cemitério tradicional de Chimadzi, no bairro Mateus Sansão Muthemba, por pessoas não identificadas.

O acusado de se alimentar de carne humana chama-se Rui Foia, de 36 anos de idade. A sua privação de liberdade ocorreu depois de ter servido carne a uma cidadão, que ao @Verdade se identificou como seu parente.

Ao abrir a tigela, a cidadã quase que caia de susto e perceber que se tratava da mão e costelas de uma criança. Assustada com o que acabava de presenciar, ela alertou as pessoas mais próximas e de seguida o secretário da unidade comunal de Chimadzi.

Em pouco tempo, a casa de Rui Foia encheu de gente, entre curiosos e familiares das pessoas perecidas cujos túmulos foram profanados.

À semelhança do que tem feito com presumíveis ladrões, a população mobilizou-se para linchar aquele que era considerado o autor da exumação e roubo de cadáveres no cemitério tradicional de Chimadzi. O pior não aconteceu porque a Polícia chegou a tempo.

Na residência do indiciado foram achadas fotografias e algumas peças de vestuário que tinham sido enterrados com os malogrados, o que fez com que algumas pessoas acreditassem que se tratava de seus ente queridos.

Refira-se que no dia que a profanação de túmulos foi descoberta, um coveiro que responde pelo nome de João Buino, de 47 anos de idade, passou a ver o sol aos quadradinhos, por alegada conivência no caso.

A porta-voz do Comando Provincial da PRM, em Tete, Lurdes Ferreira, disse que João permanecerá detido até ao fim das averiguações. O mesmo acontecerá em relação ao Rui.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!