Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Jovem corre o risco de ser expulso do bairro por ser membro do MDM em Nampula

Um jovem, de 30 anos de idade, que responde pelo nome de Saraiva Damião, residente no bairro de Muatala, na cidade de Nampula, corre o risco de ser despejado da residência onde mora com a sua família por se ter filiado ao Movimento Democrático de Moçambique (MDM).

A situação começou quando Damião, por sinal delegado do núcleo de Micolene no bairro de Muatala pelo MDM, iniciou a campanha de mobilização porta a porta para angariar membros e também por ter hasteado a bandeira do seu partido no quintal da sua casa.

“No dia em que hasteei a bandeira na minha casa, vieram cinco membros do partido Frelimo e obrigaram-me a retirá-la, afirmando que a minha residência não era a delegação política do meu partido e dizem que posso ser expulso do bairro”, conta e acrescenta: “Já fui informado de que caso continue a mobilizar membros para o Movimento Democrático de Moçambique poderei ser levado para um local incerto e torturado”.

Damião afirma ainda que, durante a discussão, os referidos jovens obrigaram-no por várias vezes a inscrever-se no partido dos “camaradas”, apelo feito também aos seus companheiros que aderiram ao MDM, graças à sua mobilização. “A maior satisfação que tive naquele momento é que todos membros, na maioria jovens, não aceitaram afirmando que estavam no MDM por livre vontade”, diz.

De há uns dias para cá, a relação com a vizinhança não tem sido boa. O jovem conta que dificilmente dialoga com o secretário do bairro e os vizinhos membros do partido Frelimo.

“Hoje, quando acontece algo na minha casa, poucas pessoas vêm ter comigo para saber o que se passa ou mesmo para prestar ajuda. Muitas vezes, sou informado de que, caso continue no partido MDM não poderei beneficiar de nenhum apoio por parte da população e, muito menos, do secretário do bairro. Por mais que seja para ter uma simples declaração do bairro. E já fui intimidado”.

Ameaças são extensivas à sua família

Saraiva Damião é casado e pai de três filhos. Ele diz que, para além de si, os indivíduos, pertencentes ao grupo dinamizador, já estiveram reunidos com a sua esposa na sua ausência e aconselharam-na a sair do MDM, e que caso não o fizesse poderia perder todas as oportunidades de emprego e de acesso aos fundos que têm sido disponibilizados aos moradores daquele bairro.

“Tenho passado fome, fico sem energia eléctrica e água para beber, os meus filhos adoecem e não dependo de ninguém para pagar as contas. A que oportunidades se referem? Ou querem retirar-me as que já tenho?”, questionou.

O nosso entrevistado afirmou que nos últimos dias tem ido um grupo de senhoras à sua casa que se aliaram à sua esposa e não sabe com que propósito, visto que os esposos das mesmas pertencem ao partido Frelimo. “Algumas pertencem à Organização da Mulher moçambicana (OMM), a ala feminina da Frelimo, só não sei o que querem com a minha esposa”.

Proibido de hastear bandeira na sua casa

Damião, delegado do núcleo Micolene, bairro de Muatala, na cidade de Nampula, acusa ainda os membros do grupo dinamizador e o secretário do bairro de o terem proibido de hastear a bandeira do partido MDM na sua residência, alegadamente por estar a cometer um crime eleitoral. O nosso entrevistado afirma que os referidos indivíduos ameaçaram incendiar a sua residência. “Eu sei que eles se sentem incomodados por existir alguém, eu, a mobilizar potenciais membros a aderir ao MDM”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!