Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
ADVERTISEMENT

Japão encontra substância altamente tóxica na água de Fukushima

Altos níveis de uma substância tóxica chamada estróncio-90 foram encontrados nas águas subterrâneas na devastada usina nuclear de Fukushima, no Japão, disse, esta Quarta-feira (19), a empresa que administra o local.

O estróncio-90 é um subproduto da fissão do urânio e plutónio nos reactores nucleares, bem como nas armas nucleares, de acordo com o site da Agência de Proteção Ambiental dos EUA.

A descoberta de níveis crescentes de tal material radioactivo pode complicar os esforços da concessionária Tokyo Electric Power para obter aprovação de lançar no oceano Pacífico o que chama de água contaminada com baixos níveis de radiação.

“Esta água contaminada não deve ser liberada no oceano”, disse Michiaki Furukawa, um químico nuclear e professor emérito da Universidade de Nagoya. “Eles têm de manter em algum lugar de modo que não possa escapar para fora da usina.”

Altos níveis de trítio, uma substância menos nociva, também foram encontrados na água subterrânea da usina à beira-mar, que entrou em colapso depois de um terremoto e um tsunami há dois anos que cortaram o fornecimento de energia e danificaram os sistemas de refrigeração.

A Tepco não crê que o estróncio-90 encontrado nos testes nas águas subterrâneas despejou-se para o oceano, disse Toshihiko Fukuda, gestor-geral da Tepco, em entrevista colectiva.

A empresa tem revisto constantemente os anúncios sobre os níveis de radiação e outros problemas na usina desde o desastre.

As explosões que abalaram a usina no auge da crise descarregaram grandes quantidades de material radioactivo para a atmosfera e áreas adjacentes de terra e mar.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Content is protected !!