Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

IPET introduz cursos para sector da indústria extractiva

O Instituto Politécnico de Tecnologia e Empreendedorismo (IPET), uma instituição moçambicana vocacionada ao ensino médio técnico-profissional, vai introduzir no presente ano cursos direccionados à indústria extractiva.

A medida visa, segundo o director geral do IPET, Eusébio Saíde, criar mão-de-obra nacional, uma vez que grande parte dos técnicos deste sector é estrangeira. Os novos cursos do IPET incluem recursos minerais, energias renováveis, mineração e geologia.

“Estes cursos vão proporcionar uma força de trabalho de moçambicanos, queremos formar jovens qualificados. As grandes empresas do sector extractivo quando vêm aqui contratam funcionários estrangeiros. Por isso, com estes cursos pretendemos criar mão-de-obra nacional,” disse Saíde, falando durante o 1º Conselho Coordenador do IPET.

O evento tinha como objectivo harmonizar os processos de trabalhos daquela instituição e definir estratégias para os próximos três anos. Saíde acredita que esta medida vai contribuir para o desenvolvimento do país.

Para o efeito, explicou Saíde, já foram criadas todas as condições para que o início das aulas decorra sem grandes incidentes. Enquanto isso, o IPET enfrenta dificuldades na contratação de professores, bem como a aquisição de material didáctico, sobretudo literatura especializada.

“Sabemos que há falta de quadros neste sector. Por isso, estamos em contacto com alguns profissionais do sector da indústria extractiva, para uma possível colaboração com o IPET”, explicou.

Refira-se que em 2012, o IPET lançou um grupo de cerca de 60 estudantes para o mercado de emprego. Actualmente, Moçambique debate-se com uma crise de técnicos especializados no sector da indústria extractiva para suprir a demanda que se regista nos últimos anos resultante da descoberta de massivas reservas de recursos minerais, particularmente carvão mineral e gás natural.

A maioria dos projectos está concentrada nas províncias de Tete e Cabo Delgado

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!