Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

IPAD disponibiliza 200 mil euros para novos projectos da CPLP

O Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD) decidiu colocar cerca de 200 mil euros a disponibilidade da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) para implementação de novos projectos.

O anuncio nesse sentido foi feito pelo presidente do IPAD, Augusto Manuel Correia, a margem da sessão de encerramento da XX Reunião Ordinária dos Pontos Focais de Cooperação da CPLP (RPFC), que decorreu nos dias 10 e 11 de Março, em Lisboa. Na ocasião, Augusto Manuel Correia fez um balanço positivo do XX encontro dos Pontos Focais de Cooperação, mostrando-se optimista relativamente a implementação e desenvolvimentos de novos projectos.

Para o presidente do IPAD, a retirada da agenda de alguns projectos que já estavam há muito tempo sem execução nos PALOP (Países Africanos de Língua Portuguesa), foi uma das decisões mais corajosas que os Pontos Focais da CPLP fizeram durante o encontro. Augusto Manuel Correia chamou a atenção para uma maior dinâmica dos Pontos Focais da CPLP na apresentação de futuros projectos, e que não seja só o Brasil e Portugal a terem este tipo de iniciativa.

“É preciso um fortalecimento dos Pontos Focais dos países mais necessitados para que os projectos aprovados respondam efectivamente as suas necessidades, que é ajudar efectivamente aqueles que necessitam”, disse ele citado esta Quinta-feira pelo motor de busca “Sapo-Moçambique”. O Secretário Executivo da CPLP, Domingos Simões Pereira, falando na sessao de abertura enalteceu o trabalho dos Pontos Focais de Cooperação da organizaçao, com sede na capital portuguesa.

Da agenda de trabalho contaram pontos como, “Workshop sobre a aplicação da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies de Fauna e Flora Selvagens ameaçadas de Extinção”, “o reforço de capacidades em matéria de avaliação de impacto ambiental e avaliação ambiental estratégica dos serviços públicos nos PALOP (Paises Africanos de Lingua Portuguesa) e em Timor-Leste”, “Rede de investigação e desenvolvimento da Malária” e o ‘II Workshop internacional sobre clima e recursos naturais”.

A “diversidade de temas e acções assinala o grande momento que a CPLP se encontra e que o progresso indica o futuro com segurança”’, disse Simões Pereira. O Secretario Executivo da CPLP sublinhou “a necessidade de maior eficácia e aumento do impacto das intervenções, alertando para o risco de proliferação de fundos sectoriais”. Por seu turno, o Director Geral da CPLP, Hélder Vaz, referiu que “há uma evolução muito grande na forma como se abordam e se discute as questões”.

Para além dos projectos nas áreas do ambiente, foi também aprovado financiamento para a rede da malária da CPLP, uma rede que já existe no âmbito dos países de expressão portuguesa e que tem levado a cabo diversos acções nestes países.

Foram ainda prestadas informações sobre o ponto de situação de alguns projectos a desenvolver ou em curso, nomeadamente, o Plano de Apoio à Estabilidade na Guiné-Bissau, o Plano Estratégico de Cooperação em Saúde da CPLP – PECS/CPLP, o III Congresso da CPLP VIH/SIDA e IST, o Centro de Informação em Protecção Social – CIPS, o projecto PCT – FAO de combate à desertificação, o Fórum da Sociedade Civil da CPLP, o Plano Estratégico de Cooperação em Ambiente, III Simpósio sobre Segurança Alimentar e a III Conferência Estatística da CPLP, entre outros projectos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!