Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Investimento Directo Nacional com 21% do total de investimento de 2010

Dos cerca de 4,6 biliões de dólares norte-americanos propostos, em 2010, pelos investidores nacionais e estrangeiros para serem aplicados em Moçambique, cerca de 21% são propostas de investimento dos agentes económicos nacionais.

O Investimento Directo Estrangeiro (IDE) equivale a 19% do global, ficando os restantes 60% a serem cobertos por empréstimos e suprimentos dos sócios, apurou o Correio da manhã do Centro de Promoção de Investimento (CPI).

O Investimento Directo Nacional (IDN) atingiu, em 2010, o valor de 648,5 milhões de dólares norte-americanos devido ao megaprojecto da Hidroeléctrica Mphanda Nkuwa, “exclusivamente de investidores nacionais”, realça o CPI, indicando que o mesmo está avaliado em cerca de 1,9 bilião de dólares norteamericanos e será implementado nos distritos de Changara e Chiuta, na província central de Tete.

Agricultura

No distrito de Nangade, em Cabo Delgado, entretanto, deverá ser implementado um projecto para cultivo de palma para extracção do óleo vegetal para exportação, avaliado em cerca de 96 milhões de dólares norte-americanos e susceptível de empregar cerca de 1410 assalariados moçambicanos.

Já no distrito de Guijá, na província meridional de Gaza, a Companhia Agroempresarial de Moçambique pretende cultivar cana sacarina e outros produtos alimentares para comercialização, devendo criar 766 novos postos de trabalho a resultarem da aplicação de cerca de 60 milhões de dólares norte-americanos.

Um outro projecto aprovado em 2010 propõe-se também produzir óleo vegetal e instalar uma refinaria de óleo para produção de biocombustível, na zona industrial da Matola, onde criará cerca de 1819 novos postos laborais.

Origem do IDE

Portugal e África do Sul estão à frente de uma lista de 41 países de origem do Investimento Directo Estrangeiro (IDE) de 2010, estando em destaque no top ten a Itália, que se propõe investir 96 milhões de dólares, nos distritos de Panda e Inharrime, em Inhambane, Bélgica (USD 50,9 milhões), interessada na instalação e assistência técnica do sistema de produção de documentos de identificação civil, viagens, vistos e controlo de movimento migratório, enquanto a China quer investir em Moçambique cerca de 26 milhões de dólares em obras de instalação e exploração de uma indústria têxtil e de vestuário e um outro valor de sete milhões de dólares no distrito de Matutuine, em Maputo, a ser aplicado na montagem de uma actividade de empreitada de construção civil e obras públicas.

Outros países do grupo top ten são, nomeadamente, Espanha, Reino Unido, Singapura e Quénia.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!