Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Inhambane – Um espaço turístico invejável

Inhambane - Um espaço turístico invejável

Para quem vai por via terrestre à província de Inhambane, muito cedo apercebe-se da sua beleza e do seu potencial turístico. A zona de Quissico é um exemplo flagrante disso. As belíssimas e fantásticas lagoas, algumas que vão de encontro ao mar, fazem uma simbiose perfeita com a paisagem do extenso palmar costeiro.

Como se não bastasse, acrescentam-se as praias de águas azulissimas e límpidas, que vão de Quissico até a província de Sofala, com quem Inhambane faz fronteira nacional a norte, as dunas e novamente o palmar infindável.

A própria cidade de Inhambane é um grande atractivo turístico por ainda manter uma estrutura arquitectónica dos séculos passados, a simpatia, a afabilidade e a hospitalidade dos seus residentes. Vasco da Gama, navegador português dos descobrimentos, desembarcou ali em 1548 e logo chamou-lhe “A Terra da Boa Gente”, talvez pela forma como foi acolhido, quando com a sua tripulação procuravam mantimentos. Hoje, volvidos mais de 500 anos, a frase continua a identificar a província com as melhores praias do país, e também com um belo mangal por explorar, segundo a Homepage da Visão Viagens África Médio Oriente, que acrescenta que “praticamente durante todo o ano é possível tomar banho e desfrutar das praias da província, mas evitar o período do Natal, devido à forte e massiva concentração de turistas sul-africanos”.

Ja na capital da província, que leva o mesmo nome, a praia do Tofo, conhecida como “a sombra das casuarinas”, com a sua satélite Tofico e a praia da Barra, sao os melhores destinos, oferecendo a beleza natural, bons locais de acomodação e divertimento e, como não poderia deixar de ser, também para se deliciar o que Inhambane tem nas suas águas do mar, como os diversos tipos de mariscos e peixes, pratos de outros quadrantes do universo mundial e, como se não bastasse as variedades locais de comidas, condimentadas com óleo de palma, onde não falta a sura, bebida extraída da palmeira para acompanhar e que tem sido desfrutada por muitos estrangeiros e nacionais que chegam ali.

O paraíso turístico não termina na capital provincial. A norte no distrito da Massinga, o turista vai deparar com a também belíssima praia de Morrungulo, e como tantas outras, casada com o orgulho da região, o palmar. As dunas e os mangais estão sempre presentes.Depois segue-se a de Pomene que também tem uma reserva natural com o mesmo nome. Vêm depois as praias de Vilankulos e a ampla de Inhassorro. Ao lado destas últimas temos o Arquipélago de Bazaruto, cuja primeira ilha tem este nome e a segunda é a de Magaruque, depois a de Benguerra e Santa Carolina. Aqui está, igualmente, localizado o Parque Nacional do Arquipélago de Bazaruto.

A sul de Quissico até Inhambane estão disponíveis boas escolhas para os turistas, como a Baía dos Cocos, Guinjata, enseada encravada entre falésias, próximo do local onde foram rodadas as filmagens da novela Jóia de Africa. Lá para Quissico, terra das timbilas encontram-se as pérolas de Zavala e Ponta de Závora.

O que falta? Surpresa, talvez não. A norte do distrito da Massinga, no vizinho Mabote, localiza-se o Parque Nacional do Zinave, com avestruzes, girafas e zebras.

O mar de Inhambane tem igualmente umas populações protegidas de dugongos e tartarugas.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!