Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Inhambane: distribuídas mais de 50 mil mudas de coqueiro

Mais de 50 mil mudas de coqueiro foram distribuídas pelos camponeses na província de Inhambane, sul de Moçambique, no âmbito do repovoamento do palmar, de modo a fomentar a produção de coco, com objectivo de colmatar a crise deste produto que se verifica naquela região do país.

A província de Inhambane é o segundo maior produtor de coco em Moçambique, depois da Zambézia, no centro do país. Entretanto, está a debater-se com o problema da fraca produtividade.

Enquanto na Zambézia a produtividade está a ser afectada pela doença do amarelecimento letal do coqueiro, em Inhambane o problema está ligado ao envelhecimento desta espécie devido à falta de renovação.

Em 2008, a província de Inhambane contava com um palmar de mais de 14 milhões de coqueiros e o volume de produção anual era de 124 mil toneladas, segundo dados publicados na página electrónica da Televisão de Moçambique (TVM), emissora pública nacional.

Entretanto, a maioria das árvores possuíam mais de 70 anos, enquanto, segundo especialistas, o coqueiro produz bem no intervalo que vai de 20 a 30 anos.

Desta feita, há necessidade de se trabalhar na reposição do actual palmar para assegurar a melhor produção.

Inhambane abastece com coco à zona sul e uma parte do centro do país. As autoridades locais pretendem controlar o comércio para evitar uma crise do produto no mercado.

Para tal, já há novo levantamento de dados para quantificar. Para além do coco, a província de Inhambane produz mais de trinta mil toneladas de copra por ano que é exportada em bruto ou transformada em óleo e sabão.

De salientar que devido a falta de copra, algumas fábricas de produção de óleo e de sabão encerraram.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!