Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ingresso no Tecnico- Profissional passa pelas provas de admissão

O ingresso para o ensino técnico-profissional do nível médio no país vai passar a ser mediante a prestação de provas de admissão, medida que o Ministério da Educação considera ser solução para a grande procura das escolas que se regista nos últimos anos neste sector. Este facto foi revelado pelo director nacional do Ensino Técnico Profissional e Vocacional, Gilberto Botas, à margem dos trabalhos de preparação do vigésimo segundo encontro de avaliação do desempenho do seu pelouro ao longo do ano transacto e planificação das actividades para o biénio 2010/2011, que arrancou esta quarta-feira na cidade de Nacala-Porto, na província de Nampula, norte de Moçambique.

Para aquele responsável, o exame de admissão é o melhor método encontrado para a selecção dos candidatos ao ensino técnico profissional médio, pois permitirá que o ingresso seja conferido aos alunos que demonstrarem estar melhor preparados para prosseguir com os seus estudos neste ramo de ensino. Gilberto Botas apontou duas razões principais que ditam a maior procura do ensino técnico-profissional médio (ETPM), nomeadamente o facto de ser o caminho mais curto e rápido para os graduados conseguirem uma oportunidade de emprego e de atribuir a estes uma equivalência académica que abre mais possibilidades de prosseguir os seus estudos ao nível das instituições de ensino superior.

A fonte revelou que, de forma paulatina, o Ministério da Educação vai restringir o ingresso dos alunos aos cursos técnico-profissionais básicos que são leccionados conjuntamente nos estabelecimentos escolares do nível médio. Esta medida visa aumentar o número de vagas para o ETPM, uma vez que o país necessita de técnicos médios deste ramo para garantir o funcionamento de pequenas e médias empresas rurais.

Paralelamente e no quadro do Programa Integrado da Reforma da Educação Profissional (PIREP), lançado há cerca de quatro anos, este sector vai acelerar o processo de formação de docentes com o nível de bacharelato à semelhança com o que acontece no Instituto Dom Bosco, em Maputo, por forma a cobrir as necessidades para os institutos em criação nas províncias de Cabo Delgado, Nampula, Manica e Maputo.

Os docentes serão capacitados em áreas profissionalizantes como agroprocessamento e manutenção, agricultura comercial, hotelaria e turismo, administração e gestão, bem como minas e pescas, estas últimas a serem introduzidas nos próximos anos. O XXII encontro nacional dos directores do ensino técnico profissional e vocacional, que igualmente junta parceiros do sector, vai contar hoje com a presença do Ministro da Educação, Zeferino Martins, além do governador de Nampula Felismino Tocoli.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!