Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Importação de embalagens consome USD nove milhões até finais de 2011

Cerca de nove milhões de dólares norte-americanos deverão ser desembolsados por Moçambique para a importação da África do Sul de embalagens de papel destinadas ao acondicionamento da produção da indústria manufactureira nacional para o mercado doméstico e exportação, segundo Odete Tsamba, directora-geral do Instituto para a Promoção de Pequenas e Médias Empresas (IPEME).

Em declarações ao Correio da manhã, Tsamba disse que aquela cifra corresponde ao volume gasto, anualmente, por empresas nacionais exportadoras dos seus produtos para mercados mundiais “mais exigentes” da União Europeia e Estados Unidos da América (EUA), principalmente.

Moçambique é exportador tradicional de produtos agrícolas, contudo “grande parte dos produtos é exportada em embalagens importadas”, sublinhou a directorageral do IPEME, salientando que a nível doméstico os pequenos produtores “recorreram a vasilhames já usadas de outros produtos para embalagem da sua produção para o mercado”.

Entretanto, o cenário deverá ser minimizado com a entrada em funcionamento de, pelo menos, duas novas fábricas moçambicanas de embalagens, a partir de 2013, segundo ainda a informante realçando que nos últimos anos se tem verificado “alguma melhoria” no que concerne à produção de embalagens plásticas, “carecendo, no entanto, da necessidade de se melhorar a sua qualidade”, vincou Odete Tsamba.

Para incentivar potenciais investidores nacionais e estrangeiros a apostarem na instalação de fábricas de embalagens no país, a directora- geral do IPEME indicou que o Governo moçambicano está já a proceder à criação de facilidades na importação de equipamento e de matérias- primas para a produção daquele tipo de produtos.

Refira-se que há dias Odete Tsamba avançou a este jornal electrónico que uma fábrica de embalagens de vidro deverá ser construída a partir de 2013, no distrito da Manhiça, província do Maputo, por um grupo de investidores sul-africanos, num investimento inicial de cerca de dois milhões de dólares norteamericanos (Cm Nº 3648).

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!