Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Hospital de Cuamba sem capacidade para demanda de doentes

O Hospital Rural de Cuamba, considerado a segunda maior unidade sanitária da província do Niassa, depois do provincial de Lichinga, está a enfrentar dificuldades para responder a demanda de utentes que se verifica neste momento. Na origem da incapacidade aponta-se a falta de camas, pessoal médico e transporte associado à degradação acelerada dos edifícios onde funciona.

 

 

A vereadora da área da Saúde, Mulher e Acção Social, no município de Cuamba, Ana Mauro, disse à nossa Reportagem, que o que está a acontecer naquela unidade sanitária de referência no Niassa, constitui uma grande preocupação não só dos utentes como também do próprio governo, embora nada haja que possa ser feito a curto prazo visando colmatar a situação.

Segundo a nossa entrevistada, as dificuldades com que se debate o hospital rural de Cuamba, tornam-se mais preocupante quando se sabe que o mesmo serve doentes de todos os distritos situados a sul do Niassa, nomeadamente Metarica, Mecanhelas, Maua, Nipepe e Marrupa além de Gurué, na Zambézia e Malema, em Nampula.

Neste momento, o hospital dispõe de apenas 93 camas distribuídas em diferentes serviços, como medicina, pediatria, maternidade e banco de socorros.

É um número considerado de insignificante para uma unidade sanitária daquela dimensão e que quase todos os dias recebe os doentes das três províncias.

A falta de transporte é uma das dificuldades que temos no hospital. Actualmente, conta com uma única viatura, com o agravante de este meio de transporte funcionar com deficiência pelo seu tempo de uso. O pessoal médico também é escasso. O espaço do gabinete principal de consultas médicas também é muito reduzido, disse.

Uma outra dificuldade não menos importante destacada pela nossa entrevistada, refere-se ao actual estado de degradação em que se encontram os edifícios onde funcionam todos os serviços do Hospital Rural de Cuamba.

Apesar de a referida unidade se encontrar nessa situação, Ana Mauro disse que ainda não existe nenhum projecto do governo ou de parceiros de cooperação para a execução de obras de reabilitação.

Conforme dados da vereadora da área da Saúde, Mulher e Acção Social, o hospital rural de Cuamba, dispõe de um bloco operatório alem de outros serviços como é o de internamento de doentes. O aludido bloco faz pequenas cirurgias.

Entretanto, Ana Mauro referiu que desde ano passado o município tem vindo promover actividades de sensibilização sobre a necessidade de prevenção de doenças como a malária e diarreias, incluindo cólera, nos bairros periféricos.

Até ao momento foram criadas 59 brigadas de sensibilização sobre boas práticas de saneamento do meio ambiente através de construção de novas latrinas bem como tratamento de água antes de consumo, abrangendo todos os bairros.

Paralelamente, o Conselho Municipal da cidade de Cuamba, conseguiu angariar fundos junto de alguns parceiros que neste momento estão a ser aplicados na construção de uma morgue para aquele hospital. Actualmente os corpos estão a ser conservados numa câmara frigorífica de doze gavetas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!