Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Guebuza visita fabriqueta de processamento de jatropha em Bilibiza

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, visitou, este Sábado, uma fabriqueta de processamento de jatropha, no posto administrativo de Bilibiza, distrito de Quissanga, na província de Nampula, zona norte de Moçambique.

O projecto, cuja instalavam está orçada em 900 mil meticais disponibilizados pelo programa FACT- FUEL Agriculture Company Technology Fundation, emprega sete trabalhadores e beneficia as comunidades através do fornecimento de óleo de jatropha que é usado para a iluminação, fabrico de sabão e para afugentar os elefantes que destroem as machambas.

Bachir Afonso, coordenador do programa, explicou que a produção de jatropha teve inicio em 2007com a criação de clubes de agricultora nos distritos de Macomia, Quissanga, Ancuabe, Pemba Metuge e Meluco, em resposta a iniciativa presidencial de 2008 de mobilizar as comunidades para produzirem jatropha.

Segundo Bachir Afonso, a cada clube tem um bloco de produção de alimentos que varia entre 100 a 150 hectares vedados com a planta de jatropha, tendo sido distribuídas, com base neste programa de fomento desta planta de produção de biocombustível, mais de 600 mil mudas a um total de 1800 camponeses que trabalham numa área de 250 hectares.

Para além de beneficiar as comunidades na iluminação, a jatropha está a contribuir no fabrico de sabão e como meio para afugentar os animais bravios pois, com recurso à jatropha, a comunidade consegue vedar os seus campos para que não sejam destruídos pelos paquidermes.

Bachir Afonso explicou que o projecto funciona com três máquinas modificadas para funcionarem com base no óleo de jatropha. O projecto tem sob sua alçada a tarefa de capacitar as comunidades em matérias de gestão de conflito homem/ animal, gestão de negócios e queimadas descontroladas.

“Agora são beneficiários do projecto de cultivo de jatropha 500 mil pessoas nos cinco distritos abrangidos “, disse o Presidente Guebuza. Para o desenvolvimento desta cultura, foram construídos 24 diques para a retenção da água, para além de treinar líderes comunitários em mecânica e técnicas de modificações de motores para serem adaptados ao uso do óleo de jatropha.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!