Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Greve de controladores aéreos prejudica voos na França

Os voos que chegavam e partiam de Paris e outros em toda a França foram seriamente prejudicados na quarta-feira, quando controladores de tráfego aéreo fizeram uma greve de um dia para protestar contra planos de unificar o espaço aéreo da Europa ocidental sob uma autoridade única.

Os controladores temem que o plano leve a demissões e a reduções em alguns de seus benefícios, mas uma das maiores confederações sindicais francesas, a CFDT, condenou a greve, dizendo que provocou problemas desnecessários aos passageiros que viajam de férias. “Às vezes é melhor negociar que lançar greves que prejudiquem os passageiros”, disse à rádio RTL o secretário-geral da CFDT, François Chereque. “Muitas pessoas estão a viajar de férias. Estão cansadas, tiveram um ano difícil em função da crise (econômica). Precisam de uma folga, e este não é o momento certo para irritá-las.”

Convocada por vários sindicatos de controladores aéreos, a greve levou ao cancelamento de cerca de 20 por cento dos voos no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, o maior do país. O aeroporto que tem o segundo maior movimento da França, Paris Orly, foi ainda mais atingido, com cerca de 50 por cento dos voos cancelados, disseram as autoridades de aviação civil.

Mais ou menos 22 por cento dos voos foram cancelados no aeroporto de Marselha Provença, 14 por cento no Lyon St-Exupéry e 6 por cento no aeroporto Nice Cote d’Azur. Um porta-voz do governo, Luc Chatel, disse ao canal de jornalismo LCI que a greve é “inaceitável” e deixará muitos passageiros que estavam indo ou voltando de suas férias em situação de reféns. A companhia aérea Air France anunciou que vai manter 100 por cento de seus voos de longa distância, 80 por cento dos voos de curta e média distância partindo do aeroporto Charles de Gaulle e 50 por cento dos voos de curta e média distância partindo do aeroporto de Orly. “Não podemos excluir a possibilidade de alguns cancelamentos nesta quarta-feira, além de alguns atrasos”, disse a Air France.

A ideia de uma autoridade única responsável pelo espaço aéreo do bloco de 27 países vem sendo discutida desde 1960. Uma nuvem de cinzas vulcânicas que obrigou ao fechamento de uma parte importante do espaço aéreo europeu em abril chamou a atenção para a resposta descoordenada ao imprevisto.

A França é um dos seis países europeus – que incluem Bélgica, Alemanha, Luxemburgo, Holanda e Suíça – que dois anos atrás assinaram um acordo para a criação de um bloco europeu central único de espaço aéreo, como parte de um plano mais amplo de ir gradativamente unificando o controle de tráfego aéreo em toda a Europa.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!