Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Governo saúda proactividade da Cornelder na mitigação do impacto da covid-19

A Secretária de Estado da Província de Sofala, Stela da Graça Pinto Zeca, enalteceu, na quarta-feira, 1 de Julho, a Cornelder de Moçambique (CdM), pela forma proactiva como reagiu à eclosão do novo coronavírus no País, através da implementação de medidas de prevenção no âmbito da iniciativa “Juntos Contra a COVID-19”.

Para além destas medidas, a CdM juntou-se aos esforços do governo local na provisão de recursos necessários para a prevenção e mitigação dos impactos desta pandemia ao nível da Província de Sofala.

A Cornelder de Moçambique ofereceu, por exemplo, os primeiros 4 ventiladores mecânicos para reforçar a capacidade de internamento, para além de ter reabilitado o Centro de Tratamento de Epidemias para internamento de pacientes com Covid-19, localizado no bairro de Maquinino, instalado um sistema de água e de alimentação de oxigénio e ar comprimido no Centro de Saúde 24 de Julho e portanto, ter introduzido um conjunto de medidas de sensibilização e prevenção no Porto da Beira, que inclui: o uso obrigatório de máscaras de proteção, controle de temperatura nos acessos e observância do distanciamento social.

“Começámos a receber apoio da Cornelder em Fevereiro, muito antes do registo do primeiro caso no País. A empresa adquiriu dezenas de máquinas de costura e material para que pudéssemos produzir milhares de máscaras localmente, que foram distribuídas gratuitamente à nossa população, concretamente nos mercados e terminais de transporte”, disse a governante, durante uma visita à empresa.

Na ocasião, o Administrador Delegado da Cornelder de Moçambique, Jan de Vries, explicou que, paralelamente à aplicação de medidas de prevenção, a empresa apostou na informatização dos serviços, como forma de evitar contactos físicos e troca de documentos.

Por isso, neste momento, “apenas os contratos é que têm de ser assinados, dada a sua natureza. A assinatura e circulação dos restantes documentos são feitas de forma digitalizada”.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!