Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
ADVERTISEMENT

Governo saúda proactividade da Cornelder na mitigação do impacto da covid-19

A Secretária de Estado da Província de Sofala, Stela da Graça Pinto Zeca, enalteceu, na quarta-feira, 1 de Julho, a Cornelder de Moçambique (CdM), pela forma proactiva como reagiu à eclosão do novo coronavírus no País, através da implementação de medidas de prevenção no âmbito da iniciativa “Juntos Contra a COVID-19”.

Para além destas medidas, a CdM juntou-se aos esforços do governo local na provisão de recursos necessários para a prevenção e mitigação dos impactos desta pandemia ao nível da Província de Sofala.

A Cornelder de Moçambique ofereceu, por exemplo, os primeiros 4 ventiladores mecânicos para reforçar a capacidade de internamento, para além de ter reabilitado o Centro de Tratamento de Epidemias para internamento de pacientes com Covid-19, localizado no bairro de Maquinino, instalado um sistema de água e de alimentação de oxigénio e ar comprimido no Centro de Saúde 24 de Julho e portanto, ter introduzido um conjunto de medidas de sensibilização e prevenção no Porto da Beira, que inclui: o uso obrigatório de máscaras de proteção, controle de temperatura nos acessos e observância do distanciamento social.

“Começámos a receber apoio da Cornelder em Fevereiro, muito antes do registo do primeiro caso no País. A empresa adquiriu dezenas de máquinas de costura e material para que pudéssemos produzir milhares de máscaras localmente, que foram distribuídas gratuitamente à nossa população, concretamente nos mercados e terminais de transporte”, disse a governante, durante uma visita à empresa.

Na ocasião, o Administrador Delegado da Cornelder de Moçambique, Jan de Vries, explicou que, paralelamente à aplicação de medidas de prevenção, a empresa apostou na informatização dos serviços, como forma de evitar contactos físicos e troca de documentos.

Por isso, neste momento, “apenas os contratos é que têm de ser assinados, dada a sua natureza. A assinatura e circulação dos restantes documentos são feitas de forma digitalizada”.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

error: Content is protected !!