Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo reconhece restauração da fauna no PNG

O Governo moçambicano reconhece o esforço dos trabalhadores do Parque Nacional de Gorongosa (PNG), em Sofala, no Centro de Moçambique, na restauração da fauna bravia e das infra-estruturas destruídas durante a guerra dos 16 anos (terminada em 1992).

O gesto nesse sentido foi manifestado pelo vice-ministro do Turismo, Rosário Mualeia, que recentemente escalou o Parque Nacional de Gorongosa, no âmbito do prosseguimento da sua visita de trabalho à província de Sofala, segundo o Departamento de Comunicação do PNG. Rosário Mualeia, que se reuniu com trabalhadores, dirigentes do Comité Sindical e direcção dessa área de conservação no Acampamento de Safaris de Chitengo, agradeceu a colaboração de todos na vigilância e combate à caça furtiva, um mal que atenta sobremaneira a integridade da conservação em Moçambique.

Também destacou da importância económica do ecoturismo, que é uma actividade voltada para a apreciação de ecossistemas em seu estado natural, com sua vida selvagem e sua população nativa intactos, bem como do turismo em geral para o País. “O turismo contribui grandemente na captação de receitas para o Orçamento Geral do Estado que suporta as despesas públicas, construção de infra-estruturas e prestação de serviços sociais. Para além de criação de emprego e geração de rendas nas comunidades. Por isso chamamos o turismo de indústria de futuro”, disse ele.

Paralelamente, Mualeia ouviu também dos assistentes palavras de comprometimento no controlo da caça furtiva, na restauração do PNG e em outras acções que visam o desenvolvimento do Parque e populações circunvizinhas, bem como alguns dos principais anseios da classe dos trabalhadores que, no geral, são inquietações comuns a todos os trabalham em Moçambique. Ainda no cumprimento da sua agenda de trabalho no PNG, o vice-ministro do Turismo visitou e “ficou maravilhado com as obras de construção, sobretudo da singularidade no que tange à arquitectura do Centro de Educação Ambiental”.

Rosário Mualeia fazia-se acompanhar do seu assistente, Paulino Langa e pelo director provincial do Turismo de Sofala, Anibal Nhampossa.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!