Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo procura soluções sustentáveis para garantir qualidade do ensino superior

O Governo moçambicano está a procura de soluções exequíveis e sustentáveis para tornar o ensino superior mais eficaz e eficiente, respondendo, deste modo, aos desafios de desenvolvimento do país.

Neste contexto, ao longo dos últimos 10 anos, o Governo empenhou-se na expansão do ensino superior no país, facilitando o acesso de pessoas com poucas posses ao ensino superior.

Actualmente, segundo a vice-ministra da educação, Leda Hugo, todas as províncias contam com instituições de ensino superior públicas, embora a cidade de Maputo, capital do país concentre a maioria das instituições.

“Estamos a busca de soluções exequíveis e sustentáveis para tornar o ensino superior mais eficaz e eficiente e que responda aos desafios socio-económicos do país.

Nos últimos anos foram aprovados vários instrumentos normativos e de actuação para garantir a melhoria da eficácia e eficiência na formação e graduação dos estudantes” disse Dados oficiais indicam que no período compreendido entre 2000/10, o número de instituições de ensino superior cresceu de 11 para 38, o que teve impacto no número de pessoas a frequentarem este nível de ensino. Assim, o número de estudantes passou de 13.200 em 2000, para 82 mil em 2010.

“Estes dados mostram que em Moçambique temos 3,7 estudantes por cada mil habitantes” frisou Hugo. Entretanto, o Governo reconhece que a expansão deve ser acompanhada de qualidade, assim como responder os desafios da integração regional e da globalização.

Nesse contexto, o Ministério da Educação (MINED) está a elaborar um novo Plano Estratégico do Ensino Superior para o período 2011-2020.

“A questão da expansão está cumprida, com maior ou menor eficiência. Agora estamos num período em que a expansão deve ser feita tendo em conta a relevância da instituição na região em que está inserida, devendo cumprir com a exigência de qualidade, responder a alguns requisitos da globalização e integração regional” explicou, a vice-ministra, para de seguida acrescentar que “daí que estamos a fazer consultas para a elaboração do novo plano estratégico que deverá ter em consideração todos estes aspectos”.

No âmbito da elaboração do Plano Estratégico do Ensino Superior 2011- 2020, decorrem consultas junto da comunidade académica, sociedade civil, entre outras entidades interessadas. As consultas já foram realizadas ao nível das regiões centro e norte e, tendo arrancado hoje, em Maputo, e que também deverá abranger as províncias da zona sul.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!