Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Angolanos continuam a ser agredidos pelas “armas da tirania”

A UNITA, maior partido da oposição em Angola, considera que passados nove anos de paz, os angolanos continuam a ser “agredidos pelas armas da tirania, da ditadura e da exclusão social”.

Numa declaração emitida apropósito das comemorações de 4 de Abril, data em que Angola alcançou a paz, depois de mais de três décadas de conflito armado, a UNITA referiu que os angolanos são igualmente agredidos nos seus direitos à habitação, saúde e emprego.

“Nove anos depois da conquista da paz militar, o Executivo utiliza novas armas para agredir os angolanos. São as armas da exclusão social, da intolerância política e da alienação cultural. Elas são apontadas e disparadas todos os dias contra os angolanos, especialmente contra os pobres e contra a juventude, que constitui o futuro da Nação”, é sublinhado no documento.

Este partido lembra que a paz que os angolanos desejam “é a democrática”, lembrando que isso significa “barrigas cheias, pleno emprego, educação de qualidade para todos e não apenas do fim dos confrontos armados”.

No documento é referido que “não basta o desenvolvimento físico do território, as inaugurações de obras descartáveis, as galas e as festanças, para caracterizar a paz”, que para os angolanos significa “liberdade, educação, saúde e habitação”.

“Os sistemas totalitários de Stalin e de Salazar também desenvolveram os territórios e promoviam muitas inaugurações e galas. Mas ninguém, em sã consciência, caracterizaria nem um nem outro desses dois modelos de ausência de confrontos armados como exemplos da paz que deseja”, sublinha-se na declaração.

A paz foi alcançada a 4 de Abril de 2002, após a morte em combate do líder da UNITA, Jonas Savimbi, em 22 de Fevereiro de 2002.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!