Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo investe em sistemas de controlo de carga

O governo moçambicano vai adquirir dez básculas móveis ao longo do corrente ano, uma medida que visa garantir a protecção das infra-estruturas rodoviárias e evitar a degradação precoce das mesmas através do controlo de carga.

Paralelamente, está em curso a instalação de sete básculas e modernização das quatro existentes, mais concretamente nas Estradas Nacionais (EN) número 12, em Nacala Porto, Nampula, número 1, em Pemba, Cabo Delgado e em Nicoadala, na Zambézia, bem como na número 6, em Dondo, Sofala.

Segundo a Administração Nacional de Estradas (ANE), será lançado brevemente um concurso para o fornecimento e instalação de uma báscula na Macia, província meridional de Gaza.

A quantidade de carga transportada nas estradas moçambicanas preocupa sobremaneira as autoridades, disse o Director Geral da ANE, Cecílio Grachane, falando a margem da reunião anual da avaliação conjunta com os parceiros de cooperação, realizada na semana passada em Maputo.

“Temos que ter cuidado com a carga transportada. Isso porque o excesso de carga encurta o período de vida útil das estradas. Apelamos para que se respeitem os limites de carga que se pode transportar. Estamos neste momento com sete básculas na fase de instalação. Ao mesmo tempo esta em curso um processo para a aquisição de dez básculas móveis e modernização das quatro básculas existentes na nossa rede” disse.

A instalação de básculas vai ter em conta os principais corredores e as zonas onde se regista a maior circulação de viaturas com carga.

“O país tem 30 mil quilómetros de estradas. Vamos tentar cobrir ao máximo a rede que temos. Vamos definir os corredores principias, ver de onde vêm e para onde vão, e ver onde se registam mais excessos. Não haverá dificuldade de identificar os locais” referiu.

Entretanto, nas zonas onde existem básculas instaladas, os transportadores usam todo o tipo de artimanhas para fugir às mesmas.

Uns procurando vias alternativas desprovidas destes instrumentos de controlo de peso, e outros, fazem de contas que as mesmas não existem.

Nestes casos, os agentes da ANE que fazem o controlo de peso dependem da polícia de trânsito para mandar parar e fiscalizar as viaturas.

Durante o evento entre o governo e parceiros de cooperação, esta foi uma das preocupações abordadas durante o encontro, incluindo um caso recente ocorrido na ponte Samora Machel, na província central de Tete, quando um camião carregado passou sem ter controlado o peso, tendo sido necessária a intervenção da polícia para a sua fiscalização.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!