Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo furta-se na investigação de denúncias sobre violação dos direitos humanos

Liga Moçambicana dos Direitos Humanos (LDH) acusa o Governo de não colaborar com os procedimentos especiais na investigação de denúncias da sociedade civil moçambicana e sistema convencional de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), sobretudo, nos casos de violação dos direitos humanos perpetrados por agentes ou autoridades governamentais.

O Executivo é também acusado de “demonstrar grandes dificuldades em colaborar e submeter-se à avaliação dos procedimentos especiais que actuam na área dos direitos civis e políticos”, facto, segundo ainda LDH, evidenciado pela “ausência de resposta a denúncias sobre a venda de crianças, prostituição infantil e pornografia infantil”, bem como sobre desaparecimentos forçados e involuntários de cidadãos nacionais e sobre direito de toda a pessoa beneficiar “do mais alto nível possível de saúde física e mental”.

Os igualmente apelos de organismos especializados da ONU sobre direitos humanos relacionados com casos ocorridos em Moçambique de tortura e outros tratamentos ou penas cruéis, desumanas e degradantes e ainda sobre “execuções extrajudiciais, sumárias e arbitrárias” não tiveram também resposta do Governo, no dizer da LDH, no seu informe para a ONU a ser apresentado em 2011, em Genebra.

PNUD

O documento foi apresentado esta terça-feira a uma minúscula representação da sociedade civil moçambicana “para a mesma sociedade civil moçambicana o apropriar. Pelo que, não gostaria que o documento fosse apresentado apenas pela liga, mas sim pela sociedade civil moçambicana, daí estarmos aqui hoje para o apresentarmos a vocês e recebermos contribuições que farão com que o relatório seja da sociedade civil do país”, insistiu Maria Alice Mabota, presidente da LDH.

Convidado, entretanto, pelo Correio da manhã a comentar o documento da LDH, Jocelyn Mason, director do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), disse que “Moçambique precisa de fazer ainda muito mais e melhor em defesa dos direitos humanos, pois não há desenvolvimento sem respeito pelos direitos cívicos dos cidadãos”.

Tal como noutros programas em curso em Moçambique, o PNUD disse estar disponível para ajudar o Governo na melhoria da situação dos direitos humanos, “porque o respeito pelos direitos humanos contribui, em todo o mundo, para o desenvolvimento do país”, referiu Mason, num breve comentário sobre o documento a ser apresentado à ONU, em 2011, pela sociedade civil moçambicana, paralelamente a um outro do Governo moçambicano, no quadro da apresentação e validação do relatório de Moçambique ao Mecanismo da Revisão Periódica Universal do Conselho de Direitos Humanos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!