Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo de Monapo questiona qualidade das obras disponibilizadas pela empresa Matanuska

A empresa Matanuska, vocacionada à produção de banana para exportação, localizada no posto administrativo de Netia, distrito de Monapo, procede à entrega, próxima sexta-feira, de 56 casas de material convencional destinadas à igual número de famílias reassentadas, no âmbito do projecto de construção de uma barragem para irrigação.

Contudo, as autoridades administrativas locais manifestam a sua inquietação face à alegada falta de qualidade das obras e de infra-estruturas sociais de saúde, educação e de abastecimento de água para os beneficiários.

De acordo com João de Castro, chefe do posto administrativo de Netia, as casas do tipo dois construídas pela Matanuska cujas obras arrancaram em meados de 2009, localizam-se numa área remota da regedoria de Mpuato, sem o mínimo de condições de habitabilidade que, no seu entender, deviam ser criadas por aquela empresa antes da cerimónia de entrega às comunidades locais que será orientada pelo governador de Nampula, Felismino Tocoli.

João de Castro arrisca mesmo a antecipar a recusa do governador Felismino Tocoli de receber aquelas infra-estruturas habitacionais com deplorável ausência de qualidade.

Sempre que trabalhei com as comunidades de Mpuato mani festaram a sua preocupação face à ausência de uma unidade sanitária no local e para contornar essa dificuldade terão que percorrer cerca de doze quilómetros até Natete onde existe um centro de saúde – disse aquele dirigente.

Segundo ele, as comunidades de Mpuato defendem que a escassez de água devia ser suprida através da canalização do precioso líquido a partir da barragem cuja construção resultou na sua transferência.

O abastecimento às comunidades seria através de fontanários, opção que consideram sustentável porquanto temem que as avarias que podem ocorrer na bomba montada sobre o único furo pode priválas com indesejada frequência do consumo de água.

A fonte do Wamphula Fax referiu que os esforços que têm empreendido junto à Matanuska no sentido de apelar o cumprimento das suas promessas feitas aquando do projecto de construção da barragem para irrigação dos campos de banana não tem surtido os efeitos desejados.

A reportagem do Wamphula Fax entrou em contacto com aquela empresa através do seu porta-voz tendo este nos remetido ao director geral que, invocando regras internas, só nos poderia receber depois de lhes dirigirmos uma carta manifestando a intenção de entrevista e revelando as perguntas que pretendemos fazer.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!