Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Governo compra acções de investidores privados da SEMOC

O Governo moçambicano acaba de recuperar todas as acções da empresa Sementes de Moçambique (SEMOC) que eram detidas por investidores moçambicanos do sector privado, visando garantir que Moçambique deixe de exportar parte de sementes, a partir de 2013.

Integrado na mesma estratégia, em 2011, o Governo investiu cerca de 14 milhões de meticais na aquisição de quatro câmaras frigoríficas e sua instalação na unidade da SEMOC localizada no Chimoio, província de Manica, garantiu, esta quarta-feira ao Correio da manhã, fonte competente do Instituto de Gestão das Participações do Estado (IGEPE).

“A SEMOC é hoje detida em 100% pelo Estado”, vincou a fonte do IGEPE, sustentando que se pretende com a medida realizar um conjunto de actividades de revitalização do sector agrícola, particularmente, daquela empresa para o país passar a ser auto-suficiente na produção de sementes para as suas necessidades.

Para o efeito, o Fundo de Desenvolvimento Agrário (FDA), do Ministério da Agricultura, está a apostar na conservação da semente de batata, atendendo que o Governo apresentou como meta acabar com as importações daquele produto, a partir de 2013, segundo a respectiva presidente, Setina Titosse, acrescentando que a aposta deriva do facto de a batata estar a ser colhida entre os meses de Agosto e Outubro de cada ano, mas a sementeira ser feita anualmente a partir de Março ou Abril.

Titosse explicou que com o aprovisionamento da semente, a partir da campanha 2010/11, “estaremos a produzir, anualmente, cerca de 190 mil toneladas, contra um consumo de 277 mil”, realçando que o investimento que está a ser feito na aquisição de maquinaria visa dotar o país de capacidade de processar diariamente entre 40 e 60 toneladas de batata, contra as anteriores 14 toneladas.

A SEMOC conta já com um sistema de frio montado constituído por oito câmaras frigoríficas, quatro das quais financiadas pelo FDA, com capacidade para 200 toneladas cada, se a conservação for a granel.

Refira-se que o ministro da Agricultura, José Pacheco, anunciou recentemente que Moçambique retomou, na campanha agrícola 2011/2012, a produção de sementes depois da conclusão do processo de revitalização da tecnicamente falida empresa estatal Sementes de Moçambique (SEMOC), num projecto que conta com o apoio da Índia.

Pacheco vincou que Moçambique quer relançar a produção de sementes de todos os produtos alimentares básicos, como milho, mandioca, leguminosas, arroz e material vegetativo da batata, tendo para o efeito sido já concluída a elaboração do plano de acção para a recuperação daquela empresa.

O plano prevê a celebração de um crédito de investimento entre o Tesouro nacional e a SEMOC para o financiamento da manutenção da fábrica de processamento em Manica.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!