Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Publicidade

G4S uma empresa de gente intocável

G4S uma empresa de gente intocável

A G4S Security Services (Moçambique) Limitada, que no centro de todo o escândalo da repressão brutal protagonizada por agentes da FIR sobre agentes e vigilantes que se manifestavam exigindo os seus direitos salariais, é um empresa que desde a sua criação tem tido problemas laborais com os seus trabalhadores.

Várias vezes a G4S foi alvo de inspecções do Ministério do Trabalho que constataram diversas irregularidas e, inclusive, a Ministra Helena Taipo pessoalmente já teve que intervir, chegando até a decretar a expulsão do país de um gestor sénior da empresa, mas o facto é que a empresa continua a operar impunemente até hoje.

Numa análise atenta à estrutura accionista da empresa, que detém uma grande fatia do mercado de segurança privada em Moçambique desde fi nais de 2005 e princípios de 2006, altura em que a G4S INTERNATIONAL HOLDING, LIMITED, multinacional britânica, absorveu algumas empresas que já operavam no país, nomeadamente a Wackenhut, Alfa Segurança, Securicor e Safetech, percebe-se as razões desta impunidade.

Segundo o Boletim da República n° 47, III Série, 2° Suplemento de 21 de Novembro de 2008, houve alterações de pacto social, quotas, sócios da G4S e algumas figuras ligadas ao partido Frelimo, com estatuto de quase intocáveis, passaram a integrar a estrutura accionista da empresa. Destas figuras constam Mariano Matsinhe, ex-ministro da segurança (SNASP) do regime monopartidário, general na reserva e membro do Partido Frelimo.

Outras figuras de relevo na sociedade moçambicana e com ligações ao partido no poder que também fazem parte da estrutura accionista da empresa de segurança G4S são Filipe Manuel Viegas Serrão Franco, e António Augusto Figueiredo D’Almeida Matos. Matsinhe entrou na G4S através da Securicor Moçambique, Limitada, empresa de segurança de que era accionista.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!