Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Funcionários falsificam assinaturas da chefia

Mais de uma dezena de funcionários do Conselho Municipal da Cidade de Quelimane (CMCQ), estão envolvidos numa rede de falsificação de assinaturas de vários dirigentes daquela instituição, com o propósito de sacarem algum valor monetário proveniente das receitas da edilidade.

Neste grupo, foram descobertos seis funcionários, sobretudo os fiscais que exercem as suas actividades em diversos mercados nesta cidade e logo foram processados judicialmente e ate chegaram de ficar presos, mas por causa desta coisa de caução, seis foram libertos mas ao que sabemos, serão julgados.

Pio Matos confirma

Semana passada, aquando da inauguração da sede do Posto Administrativo número 5, na unidade residencial de Namuinho, Pio Matos, Presidente do Conselho Municipal de Quelimane, quando confrontado pela imprensa sobre este caso, afirmou categoricamente ter conhecimento do caso, mas o que sabia dizer é que houve sim funcionários da edilidade sobretudo os que trabalham como fiscais nos diversos mercados que andaram a falsificar senhas de cobranças nos mercados e ate algumas rubricas de pessoas seniores da edilidade.

Todavia, conforme explicou Pio Matos, os mesmos foram encaminhados a justiça e neste momento tudo cabia ao ministério público.

Membros da AM criticam edilidade

Aquando da realização da última Sessão da Assembleia Municipal de Quelimane (AMQ), órgão deliberativo, surgiram várias críticas e desconfiança em volta deste caso.

A maioria destas críticas vieram da bancada parlamentar da Frelimo, por sinal a maioria naquele órgão. A primeira que partiu a loiça como soi dizer, foi a senhora Leopoldina Lampião, que na sua explanação, começou por narrar os factos para depois questionar ao edil como é que podem sair senhas falsas para os fiscais sem que a chefia que vela pela área saiba.

Mais adiante aquela interveniente duvidou aliando alguns responsáveis da edilidade em estarem metidos nestes esquemas sujos que visam delapidar o erário público, conforme disse.

Já Noé Mavereca, da bancada parlamentar da Renamo, disse na ocasião que este acto de falsificação de senhas e algumas rubricas, mostra a fragilidade com que o município se debate, dai que conforme deu a conhecer Mavereca, isto pode até não ser algo apenas destes fiscais, mas para ele, tal como também disse a sua colega da AMQ, há peixe graúdo que pode estar metido neste assunto, mas que como são membros da Frelimo da confiança do edil, por isso ninguém quer os denunciar, deixando apenas os fiscais como capas desta acção.

Refira-se que este não é o primeiro caso. No Conselho Municipal de Quelimane, já houve desvios de cheques cujas pessoas envolvidas não eram simples funcionários.

Ficaram presos, mas meia volta foram libertos e até hoje ninguém diz nada. Aliás, outros mesmo com o que fizeram voltaram a exercer funções de chefia no mesmo sítio onde haviam desviado valores. São coisas e agora está ai mais um caso.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!