Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Fome afecta 30 mil famílias em Manica

Cerca de 30 mil famílias estão a queixar-se de fome devido a falta de comida em cinco distritos da província de Manica, nomeadamente Tambara, Macossa, Sussundenga, Machaze e Mussorize.

Enquanto nada for feito, prevê-se tragédias nestes distritos. A seca, a praga de lagartos invasores e a falta de chuva foram alguns dos factores que contribuíram para a fraca produção agrícola e consequente fome, neste momento a afectar a população dos referidos distritos.

Estes dados foram tornados públicos, Quarta-feira, durante o lançamento da campanha agrícola 2011-2012, que tal como a primeira que fracassou, foi pomposamente lançada em Catandica, distrito de Báruè província de Manica, pelo chefe de Estado, Armando Guebuza, e um batalhão de dirigentes.

Sem solução para o problema da fome que está a assolar as 30 mil famílias, foi anunciado que perto de quatrocentas mil famílias camponesas, residentes em todos os distritos do País, vão receber insumos agrícolas para além de outros instrumentos para a prática da agricultura. Poderá ser uma solução para o futuro próximo, mas não resolve o drama das famílias que neste momento Com o lema “produção alimentar, estão afectadas.

Com o lema “produção alimentar, criação de riquezas, segurança alimentar”, a campanha foi lançada com promessas de distribuição de instrumentos de produção alimentar e charruas de tracção animal.

Assim informou-se que mais de 800 mil hectares de terras aráveis estão já disponíveis em todo o País para a produção de alimentos, com vista a combater as frequentes bolsas de fomes. O PR disse que numa primeira fase, as famílias abrangidas serão capacitadas em técnicas de produção alimentar e acompanhadas por um extencionista.

Entretanto, o Presidente da República, Armando Guebuza, reconheceu que o nível de produção agrícola no País deixou a desejar com maior reparo para a província de Manica, onde a produção situou-se abaixo do planificado, pois para a campanha agrícola 2009/2010 previa-se produzir 1.900 toneladas de cereais, contra 1.400 toneladas produzidas em todos os distritos.

No entanto, nesta época a província prevê aumentar a sua área de produção agrária para 12 mil hectares, contra 8 mil do ano passado. Isso representará cerca de 4 770 mil toneladas, contra 2.733 toneladas planificadas para a época passada.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!