Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Felismino Tocoli quer técnicos agrários no campo

Os quadros afectos à direcção provincial de Agricultura em Nampula, com formação de nível superior nas áreas de Agronomia, Veterinária e Florestas e Fauna Bravia, serão destacados para trabalhar nos distritos, de acordo com a decisão tomada pelo governador local Felismino Tocoli, que justifica a medida de cumprimento imediato como estando enquadrada nos esforços do seu executivo, visando impulsionar a produção de culturas alimentares.

O quadro de pessoal da direcção provincial de Agricultura em Nampula é composto, entre outros, por 29 técnicos com nível de formação superior.

No entanto, apenas 6 dos 21 distritos da província estão cobertos por engenheiros agrónomos, florestais e médicos veterinários, enquanto os restantes se encontram concentrados na direcção provincial, onde executam trabalhos burocráticos.

Estes factos afligem o governador Felismino Tocoli, sobretudo depois de apurar que quatro distritos de Nampula com potencial agrícola, nomeadamente Malema e Ribáuè, que são considerados celeiros da província, incluindo Lalaua e Mecuburi, não estão contemplados com a afectação de quadros superiores formados em ciências agrárias.

Pelo contrário, foram privilegiados distritos como Ilha de Moçambique, Murrupula e Mogincual com referências escassas no domínio agrário que podem ser cobertos por técnicos de nível médio.

O cúmulo, segundo o governante, é o facto do distrito de Muecate com potencial para a produção de oleaginosas, feijões, além de madeira, ter um sociólogo à frente da direcção local dos serviços de actividade económica.

Face a estes factos, Felismino Tocoli orientou a DPA para rever os critérios de afectação de quadros com formação superior em ciências agrárias, privilegiando os distritos com potencial agrícola.

Pois, a palavra de ordem é de produzir para satisfação das necessidades da província e de outras do país. Alertou que a medida é de cumprimento obrigatório e os eventuais comportamentos que manifestem resistência por parte de alguns técnicos visados devem ser tratados obedecendo os mecanismos previstos na legislação laboral.

Em Nampula, os agrónomos tem preferência em viver nas cidades onde fazem produção agrícola nos jardins e quintais das suas residências, o que se pode considerar uma aberração porque foram formados para trabalhar no campo – anotou Felismino Tocoli, recomendado a DPA no sentido de começar a fazer planos de reabilitação e apetrechamento das residências do sector nos distritos com vista a acomodar os técnicos superiores.

A província de Nampula tem uma meta global de produção de 5.150 milhões de toneladas de produtos agrícolas na campanha 2010/2011, lançada oficialmente há cerca de um mês e o seu alcance depende da entrega de todos funcionários do sector.

Pois, segundo o governante, é preciso garantir o crescimento contínuo dos volumes de colheitas tendo em conta a satisfação das necessidades locais e das restantes províncias.

Ao longo da visita que efectuou esta segunda feira à DPA, Felismino Tocoli foi informado que a província está a registar um movimento expressivo virado à produção de batata reno e, para que os rendimentos actualmente situados em 1.500 toneladas por campanha possam atingir níveis satisfatórios de oferta ao mercado, há necessidade de encorajamento dos produtores, alocando mais insumos, sobretudo semente melhorada, além da transmissão de técnicas para a prática da cultura para obter rendimentos significativos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!