Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Febre aftosa: Maputo e Gaza retomam feiras de gado

O levantamento da interdição da circulação de bovinos provenientes das províncias de Maputo e Gaza, devido ao surto de febre aftosa, abriu espaço para a retomada das feiras de gado nesta região do Sul de Moçambique.

As feiras regulares de exposição e venda de animais vivos ou da carne dos abatidos vão ser retomadas sob forte vigilância por parte dos agentes de veterinária nos locais habituais, designadamente, Motaze, em Magude, e Changalane, no distrito da Namaacha.

As fortes medidas de vigilância vão ainda recair aos animais importados e em trânsito. As autoridades veterinárias conseguiram travar o alastramento da doença que ataca bovinos e outros animais como caprinos, ovinos e suínos.

Com efeito, segundo o “Noticias”, não se registou nenhum novo caso de febre aftosa num período de seis meses, o que permitiu o levantamento da medida imposta desde Setembro de 2010, no caso de Gaza e princípios deste ano, para Maputo.

José Mendonça, chefe dos Serviços Provinciais de Pecuária em Maputo, disse que desde que apareceram as primeiras suspeitas da doença, foi desencadeada uma acção cerrada de fiscalização e controlo da circulação de animais, tendo-se desencadeado em paralelo uma acção de vacinação que abrangeu perto de 40 mil animais nos distritos de Magude, Manhiça e Moamba, todos na província de Maputo.

As equipas continuam a trabalhar na observação dos animais e produzem relatórios quinzenais que permitem uma melhor monitoria da situação.

“Foi levantada a interdição da circulação dos animais nos dois territórios, mas a fiscalização deve continuar porque se trata de uma doença que precisa de ser rigorosamente monitorada. Assim, estamos em condições de retomar as feiras de venda de animais, mas precisamos de continuar o controlo por mais tempo para não sermos surpreendidos pela doença”, explicou José Mendonça.

Entre 75 e 80 porcento dos animais abatidos nos matadouros da cidade de Maputo e Matola são provenientes das províncias de Gaza, Inhambane e Tete, esta última no Centro noroeste do país, sendo que a proibição exerceu alguma pressão para algumas zonas de produção da província do Maputo e provocou a redução de abates.

A febre aftosa é uma doença com 100 porcento de morbidade dos animais afectados e caracteriza-se pelo aparecimento de feridas na cavidade bocal que dificulta a alimentação, feridas nos cascos que dificultam a locomoção, o que resulta na perda de peso que leva o animal à morte.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!