Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Falta de mercado para a colocação de produtos agrícolas

Grande parte dos agricultores das regiões com maior potencial na província de Nampula queixam-se da falta de mercado para a colocação dos seus produtos, facto que tem vindo a desencorajar o aumento de áreas de cultivo.

A referida situação tem contribuído para a venda dos excedentes a preços relativamente baixos, que não tem compensado o trabalho desenvolvido pelos produtores ao longo das respectivas campanhas. A falta de fundos e as tecnologias ultrapassadas, também constam do rol das preocupações dos camponeses deste ponto do país.

A inquietação foi manifestada no último sábado, à margem da Feira Agricola, promovida pela ADIPSA, na cidade de Nampula, com a participação de camponeses e representantes de fóruns de agricultores dos distritos de Mogovolas, Angoche, Meconta e Monapo. Em contacto com o nosso Jornal, Paulo Rapucue, representante de um dos fóruns do distrito do posto administrativo de Itoculo, no distrito de Monapo, admitiu a possibilidade dos preços de produtos agrícolas virem a baixar na presente campanha agrícola devido à falta de compradores honestos.

A título de exemplo, apontou o feijão que baixou do preço anterior, de 12 meticais para 8 meticais. Eles é que têm determinado os preços dos produtos, aos quais somos obrigados a subordinarmo-nos em face das mencionadas dificuldades na sua colocação no mercado. Sublinhou a fonte. Rapuche referiu, por outro lado, que a acentuada degradação em que se encontram as vias de acesso também tem condicionado, sobremodo, as deslocações dos agentes comerciais.

Enquanto os que tem acorrido ao distrito costumam pagar a preços baixos, alegando dispenderem elevados custos com os transportes. A fonte anotou, ainda, que grande parte dos produtos agrícolas referentes à presente campanha correm o risco de se perder devido às dificuldades de conservação e falta de mercado. Santos Morra, representante da OLAM Moçambique, empresa ligada à comercialização de produtos agrícolas, sobretudo os cereais, disse que, na presente campanha, a sua instituição vai privilegiar o contacto directo com os produtores, sem espécie de intermediário, facto que irá permitir a aplicação de preços considerados rentáveis para os camponeses.

Por seu turno, o governador da província de Nampula apelou para a intensificação da formação de fóruns, a fim de melhorar o processo de comercialização agrícola através da criação de comissões apropriadas na identificação de mercado favorável. Tocoli referiu, ainda, que o seu executivo vai continuar na mobilização de recursos e tecnologias com vista ao incremento da produtividade na província de Nampula.

Temos instituições de investigações académicas, entre outras, com as quais continuaremos a trabalhar com vista a beneficiarem as suas tecnologias aos camponeses. Afirmou o governador Tocoli, observando que, em relação à degradação das estradas existem fundos descentralizados que não necessitam de aprovação provincial, facto que, aliás, já se reflecte na melhoria do processo de assistência das estradas tercearias.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!