Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Falta de água afecta qualidade de cuidados sanitários em Murrupula

O deficiente abastecimento de água às unidades sanitárias no distrito de Murrupula está a interferir negativamente na qualidade dos serviços prestados às comunidades locais e para inverter esta situação o governo daquela região, em parceria com a Visão Mundial, estabeleceram um entendimento visando a abertura de fontes e reabilitação de pequenos sistemas que se encontram inoperacionais.

O centro de saúde do posto administrativo de Nihessiue, o mais populoso de Murrupula, é considerado pelo governo distrital como estando em pior situação em termos de abastecimento de água.

E para garantir o retorno ao seu normal funcionamento exige um esforço suplementar dos funcionários daquela unidade de referência ao nível local, que são obrigados a transportar água à cabeça.

As populações, que beneficiam de cuidados sanitários naquela unidade, reclamam o início tardio das actividades do centro bem como a falta de higiene e limpeza cujas causas estão directamente relacionadas, segundo apuramos, à aludida escassez de água.

Alzira Manhiça, administradora de Murrupula, disse ter chegado altura de acabar com o problema relacionado com a escassez de água potável para o abastecimento às unidades sanitárias do seu distrito.

Para o efeito, convidou a Visão Mundial, seu principal parceiro, para união de esforços tendentes a garantir o abastecimento de agua às unidades sanitárias, a começar pelo de Nihessiue, conforme referimos, o mais critico neste momento.

Após recentes conversações com o responsável nacional do projecto de água e saneamento na Visão Mundial, Belis Matabire, o governo de Murrupula obteve garantias daquele organismo internacional de uma intervenção no sentido de sanar a carência de água que afecta os centros de saúde naquele distrito com solos rochosos em grande parte da sua superfície.

A intervenção poderá incidir na abertura de fontes ou na reabilitação dos pequenos sistemas que, neste momento, se encontram inoperacionais devido ao assoreamento das nascentes dos respectivos rios.

Para suportar aquela intervenção bem como a abertura de 100 sanitários, incluindo a abertura de cinco novos furos e reabilitação de igual número para reforçar a disponibilidade de água nas escolas, mercados, terminais rodoviários, entre outros locais de grande aglomeração de pessoas no distrito de Murrupula, Belis Matabire revelou que o seu organismo dispõe de um fundo estimado em 7,5 milhões de meticais doados pela Cooperação Austríaca para o Desenvolvimento.

Em relação aos sanitários, cujo programa terá uma componente de educação ambiental para o correcto maneio de resíduos sólidos produzidos na comunidade, o objectivo da iniciativa centrase na prevenção de doenças como a malária e diarréias que flagelam as populações locais.

De salientar que todas as fontes abertas no distrito de Murrupula têm manutenção garantida através de técnicos seleccionados entre as comunidades locais que pertencem aos comités de água, os quais beneficiam, neste momento, de acções de treinamento sobre a matéria.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!