Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Fábrica de Monapo reduz em 13 mil toneladas processamento de algodão

A fábrica de processamento de algodão de Monapo, na província de Nampula, deverá reduzir em cerca de 13 mil toneladas, para 17 mil, o seu nível de processamento de algodão, perdendo assim o estatuto de maior unidade produtiva do género a nível da África Austral. Em anos passados a fábrica processava cerca de 30 mil toneladas em média anual.

Aquela fábrica, gerida por investidores indianos, opera com matéria-prima fornecida por produtores locais que estão actualmente “desanimados com a oscilação e baixos preços do algodão praticados no mercado internacional”, segundo Adelino Manuel, director distrital das Actividades Económicas de Monapo.

Segundo o Correio da manhã, Adelino Manuel apontou a escassez de chuvas ao longo da campanha agrícola 2012/2013 como outra razão do baixo nível de produção de algodão, acrescentando, entretanto, que o cenário poderá melhorar na presente época 2013/2014 “devido às boas perspectivas meteorológicas e melhoria dos preços deste produto no mercado externo”.

Caso as previsões sejam confirmadas, “Monapo poderá aumentar a sua capacidade de processamento de algodão para cifras próximas das 30 mil toneladas”, salientou Manuel, apontando a atribuição de diversos tipos de incentivos aos produtores locais como parte de iniciativas que estão em curso para envolver mais agricultores na produção daquela cultura tradicional nas exportações moçambicanas.

Refira-se que, além de produzir fibras de algodão para exportação, a fábrica de Monapo dedica-se à transformação daquele produto em óleo e sabão para abastecer o mercado moçambicano.

A agricultura é a principal actividade desenvolvida pela maioria dos cerca de 245.414 habitantes do distrito de Monapo que também se destaca por ser uma potência na produção de cana-de-açúcar, mandioca, mapira, milho, amendoim e arroz.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!