Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

https://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.htmlhttps://www.petromoc.co.mz/Lubrificantes.html
Publicidade

Exportações de biocombustíveis em 2013

As primeiras quantidades de biocombustíveis para exportação deverão ser exportadas a partir de 2013 para os já garantidos mercados da União Europeia e asiático, segundo fonte competente do Ministério da Energia. A produção está a ser feita por 30 novos projectos de investimento nacional e estrangeiro já aprovados pelo Governo moçambicano.

Num volume global não revelado por António Saide, director nacional de Energias Novas e Renováveis do Ministério da Energia, salientando, contudo, que “vários outros pedidos de investimento têm sido recusados pelo Governo por não respeitarem a legislação ambiental moçambicana vigente”.

Os projectos estão a ser realizados apenas pelo sector privado devido à baixa produção de copra, jatrofa, cana sacarina e mapira doce conseguida pelo sector familiar para servirem de matéria-prima na produção de biocombustíveis, segundo igualmente Saide.

“O grande desafio para atracção de mais investimentos para o pleno desenvolvimento do sector de biocombustíveis no país está na massificação do cultivo daquelas culturas de rendimento pelos camponeses”, explicou a fonte, realçando que o país tem um potencial de produzir cerca de 400 milhões de litros de biodiesel por ano, “mas o que produzimos actualmente é bastante insignificante para atingir aqueles níveis produtivos”, realçou Saide.

A aposta nacional pelo desenvolvimento daquele tipo de combustíveis visa contribuir para a redução da dependência externa em relação aos combustíveis fósseis importados a preços cada vez mais elevados. O director nacional de Energias Novas e Renováveis falava na terça-feira, em Maputo, à margem de um encontro visando avaliar a política de biocombustíveis no país, evento que juntou quadros dos ministérios da Agricultura, Energia e para Coordenação da Acção Ambiental.

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!