Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Ex-primeiro-ministro santomense abandona partido no poder

O antigo primeiro-ministro santomense e chefe do décimo quinto governo constitucional do arquipélago, Joaquim Rafael Branco, abandonou o Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe-Partido Social Democrata (MLSTP-PSD), partido no poder, devido às divergência de ideias sobre o reforço desta força política para os próximos embates eleitorais, soube-se, quinta-feira (6), de fonte segura.

A saída de Rafael Branco foi anunciada em comunicado do Conselho Nacional lido por Américo Barros, um dos vice-presidentes do MLSTP-PSD, no final da reunião da Comissão Política desta força política nos dias 24 de Janeiro e 05 de Fevereiro corrente.

Segundo o comunicado, a Comissão Politica deliberou a adopção da proposta do documento relativo à existência de tendência no seio do partido, devendo as mesmas conformar-se aos estatutos e as demais regras do partido.

Entrevistado pela PANA, Joaquim Rafael Branco disse que pediu o seu afastamento do MLSTP-PSD depois de ser recusada a sua proposta de criação de uma comissão de salvação, uma vez que  segundo ele “existem comportamentos e práticas que põem em perigo os resultados dos próximos embates eleitorais”.

Fontes próximas ao partido adiantaram que Rafael Branco prometeu regressar ao MLSTP-PSD em Agosto próximo, altura que serão conhecidos os resultados das eleições legislativas e autárquicas. Rafael Branco, primeiro embaixador de São Tomé e Príncipe nos Estados Unidos, reconhece que tem peso dentro do partido e que vai continuar no Parlamento, informando que vai percorrer o país de Norte a Sul para informar os militantes de bases sobre a sua decisão.

Tido como uma das principais figuras do MLSTP-PSD, Rafael Branco disse que o seu propósito não é afastar o actual presidente, Jorge Amado, da presidência do partido de Reboque (localidade onde esté situada a sede do partido).

“Não quero repetir a experiência dolorosa que tive aquando da minha liderança no partido e não quero repetir isso várias vezes”, afirmou. “Estive na linha da frente em todas as lutas que o MLSTP-PSD desencadeou nas ruas na comunicação social, fui uma voz presente e actuante, e não posso acomodar com esses princípios, sou um cidadão activo pela luta pela ideia e pelo desenvolvimento”.

Rafael Branco, quinto presidente do MLSTP-PSD entre 2008 e 2010, considerou a situação política actual difícil e indicou que é necessário alargar o espaço de diálogo para o entendimento.

Dante Paradiso, chefe da missão da Embaixada dos Estados Unidos em São tomé com residência no Gabão, que entrevistou-se com Jorge Amado para conhecer a situação política nacional na sede do partido depois da leitura do comunicado, instado sobre o afastamento de Rafael Branco afirmou que “São Tomé e Príncipe tem uma democracia viva, vibrante e dinâmica”.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!