Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Especialistas identificam gene que regula reprogramação de células-tronco adultas

Pesquisadores descobriram que um gene supressor do crescimento de tumores, o p53, chamado de guardião do genoma, não tem apenas como função suprimir as células em vias de se tornarem cancerígenas, podendo também criar células-tronco saudáveis a partir de tecidos adultos.

Os trabalhos de cinco equipes de pesquisa publicados este domingo na revista científica britânica Nature, mostram que suprimir o gene p53, torna possível reprogramar com êxito as células adultas.

As células-tronco embrionárias podem sofrer mutações para produzir todos os tipos de células humanas (sanguíneas, nervosas, musculares…) e desempenham um papel essencial da Medicina “Regenerativa” para que no futuro o coração e outros órgãos sejam reparados. Mas a sua utilização suscita questões éticas. Graças aos trabalhos pioneiros, em 2006 e depois em 2007, do pesquisador japonês Shinya Yamanaka, nos quais diferentes células adultas eram programadas para que fossem polivalentes, as células-tronco pluripotentes induzidas (iPS) são vistas como uma alternativa à utilização das células-tronco embrionárias.

O gene p53, segundo os testes, pode deter a divisão das células ao mesmo tempo em que repara alterações genéticas, ou então, pode cessar completamente a multiplicação das células anormais e ordenar a elas a sua autodestruição.

O especialista em cancro Geoffrey Wahl (Salk Institute, Estados Unidos) demonstrou junto com seu colega espanhol Juan Carlos Izpisua que, ao desativar o gene p53, a reprogramação celular é “pelo menos dez vezes mais eficaz”. As células iPS obtidas provocaram o nascimento de ratos com boa saúde, capazes de se reproduzir, segundo a equipe.

O gene atua como uma barreira quando os pesquisadores tentam reprogramar uma célula humana adulta para transformá-la em uma célula-tronco induzida (iPs). Quando a ação do p53 é bloqueada, a produção de iPs se multiplica. Assim como as células de um embrião, as iPs podem se transformar em qualquer tecido do corpo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!