Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Embarcação “Vega 5” aprisionada pela marinha de guerra da Índia

A Marinha de Guerra Indiana anunciou esta segunda-feira a detenção de um grupo de 61 piratas fortemente armados, bem como o resgate de 13 tripulantes que eram mantidos como reféns a bordo do barco de pesca moçambicano “Vega 5”, no Mar Arábico, a 600 milhas náuticas (cerca de 1.111 quilómetros) a Oeste da costa indiana.

“Na noite de 12 de Março de 2011, cerca das 21 horas, o INS Kalpeni (navio de guerra indiano) interceptou um navio mãe-pirata com o nome de ‘Vega 5’, no Mar Arábico, cerca de 600 milhas náuticas, a oeste da costa da Índia. Foram resgatados 13 membros da tripulação e detidos 61 piratas”, lê-se num comunicado da Marinha de Guerra Indiana.

Enquanto isso, decorrem investigações para apurar a identidade dos tripulantes e dos piratas que, actualmente, se encontram a guarda das autoridades indianas nas cidades de Mumbai e Kochi. Questionado hoje pela AIM, o Ministro das pescas, Victor Borges, disse que as autoridades moçambicanas já estão a par do assunto, estando actualmente a estabelecer contactos com a embaixada moçambicana na Índia, para apurar mais detalhes. “Temos conhecimento do assunto, e estamos a manter contactos com a nossa embaixada na Índia para apurar mais pormenores”, disse Borges.

A operação do resgate da tripulação do ‘Vega 5’ e da detenção dos piratas surge dias após o governo indiano ter anunciado medidas para aprimorar as operações de combate a pirataria no Oceano Índico e alargar as suas operações ofensivas em conformidade com a legislação internacional.

Sobre a operação, o comunicado explica que, sexta-feira ultima, um avião de patrulha do tipo “Dornier” recebeu uma chamada do navio MV Vancouver Bridge que, na altura, era alvo de uma tentativa de sequestro. O avião localizou o ‘Vega 5’ e quando os piratas se aperceberam da presença da aeronave da marinha de guerra indiana, abortaram imediatamente a operação tentando-se escapulir daquela região.

Contudo, o avião de patrulha continuou a seguir os movimentos do Vega 5, tendo as autoridades indianas enviado para o local duas corvetas, nomeadamente o “Khukri” e “Kalpeni” para interceptar o ‘Vega 5’. Na noite do último Sábado, o Kalpeni aproximou-se do ‘Vega 5’ e, a meio da noite, os piratas abriram fogo contra o Kalpeni que, por seu turno, ripostou ao ataque.

Na ocasião, o ‘Vega 5’ pegou fogo, tendo a marinha de guerra resgatado do navio em chamas 61 piratas e 13 membros da tripulação. Os piratas transportavam consigo cerca de 80 a 90 armas de fogo ligeiras e algumas armas pesadas, tais como lança roquetes. Segundo o governo indiano, o ‘Vega 5’ constituía um risco para a marinha internacional nos últimos quatro meses, tendo sido usado em várias operações de pirataria.

O Mar Arábico é uma das principais rotas do tráfego internacional, razão pela qual a segurança da mesma se reveste de importância vital para o comércio internacional. A Marinha de Guerra Indiana tem estado a conduzir operações contra a pirataria marítima na região do Golfo de Áden desde Outubro de 2008.

O ‘Vega 5’, propriedade da empresa Efripel Lda e que era operado pela Pescamar Lda, foi dado como desaparecido a 27 de Dezembro de 2010, ao largo da costa da província meridional de Inhambane, com 24 tripulantes a bordo, dos quais 19 moçambicanos. Dias mais tarde o referido barco foi reportado como tendo sido localizado navegando em direcção a Somália.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!