Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Em montagem em Manica unidades industriais de processamento

O Ministério da Agricultura deverá implementar, a partir de 2011, uma nova experiência visando a comercialização de toda a produção de algodão, soja, jatrofa, amendoim e gergelim do sector familiar para produção de biodiesel e etanol.

Avaliado em cerca de 1,3 milhão de meticais, o novo projecto irá arrancar no próximo ano no distrito de Sussundenga, na província central de Manica, onde estarão montadas pequenas unidades industriais de agroprocessamento daquelas culturas de rendimento tidas como matéria- prima para a produção de biocombustíveis, segundo um documento daquele departamento governamental.

O documento foi na última sexta-feira apresentado aos participantes de um seminário que debateu propostas de iniciativas a serem desenvolvidas na área de biocombustíveis em Moçambique, tendo sido realçado no mesmo encontro que o propósito da experiência “é o Governo passar a comprar toda a produção de camponeses para agroprocessamento, no lugar de limitar-se a mobilizar os produtores a aumentarem as suas áreas de cultivo para depois os produtos apodrecerem nas suas mãos por falta de quem os compre”.

Os produtos já industrializados servirão de matériaprima para a produção de biodiesel e etanol, adianta o documento, apontando em seguida que o valor a ser investido irá também ser gasto em acções de fornecimento de sementes melhoradas e identificação de regiões com condições climáticas apropriadas para o cultivo de algodão, jatrofa, amendoim, soja e gergelim.

O aumento da renda dos camponeses, redução dos níveis de poluição ambiental e do aquecimento global são outros dos propósitos da disponibilização de cerca de 1,3 milhão de meticais para o projecto a ser levado a cabo na província de Manica, a partir de 2011.

Durante o encontro foram ainda objecto de discussão os programas de promoção de investimentos na produção de biocombustíveis e divulgação da cultura de rícino como matéria- prima para produção de biocombustíveis, para além de igualmente ter sido apresentado um estudo sobre lições e impacto da produção de rícino no distrito de Gorongosa, província central de Sofala.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!