Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Eleições 2009: três partidos formalizam candidaturas

Até hoje, último dia para inscrições e submissão de candidaturas para as eleições de 28 de Outubro próximo, apenas três partidos políticos formalizaram a sua candidatura para participarem nas legislativas e Assembleias Provinciais na Comissão Nacional de Eleições (CNE). Trata-se dos partidos Frelimo, actualmente no poder, o Ecologista (PEVE) e de Reconciliação Nacional de Moçambique (PARENA).

De acordo com dados da Comissão Nacional de Eleições (CNE), 25 partido políticos manifestaram a intenção de concorrer nas eleições, dos quais um número não especificado se encontra numa situação de inscrição não aceite por falta de documentos. Assim, espera-se, na Quarta-feira, ultimo dia de inscrições e submissão de candidaturas, uma grande enchente na CNE.

Esta situação terá sido causada pela própria CNE que demorou notificar os partidos políticos inscritos para formalizarem as suas candidaturas. O atraso, segundo explicações da própria CNE, deveu-se à falta de quórum suficiente para deliberar sobre as manifestações de interesse apresentadas pelos partidos políticos. “Esta situação deveu-se a ausência dos membros da CNE durante as últimas semanas, porque não tínhamos quórum suficiente para deliberar. Aqui apenas estava o Presidente da CNE e um vogal e os restantes se encontravam na diáspora. Para deliberar, o quórum necessário é de sete vogais”, explicou a CNE.

O Partido Frelimo, que se inscreveu no dia 22 deste mês, apenas foi notificado na última Segunda-feira, o mesmo aconteceu com a Renamo, maior forca politica da oposição, que manifestou interesse nas primeiras semanas do arranque do processo. Esta situação afecta todos os partidos inscritos, por essa razão, durante a submissão de candidaturas, a CNE está a apresentar formalmente as suas desculpas. Depois do acto de formalização das candidaturas, os partidos políticos vão envolver-se na preparação de estratégia eleitoral e da propaganda, enquanto aguardam a divulgação da lista dos apurados pela CNE.

O presidente do PEVE, João Massango disse a jornalistas que o seu Partido vai participar nas legislativas e assembleias provinciais em todo o país e ainda nos círculos eleitorais de África e Europa. Massango referiu que o seu Partido acredita que vai conseguir assentos na Assembleia da República (AR), o Parlamento moçambicano, e nas Assembleias Provinciais. “Temos o desejo de nos vermos representados em todas as Assembleias Provinciais e ter dois a cinco assentos no Parlamento. As metas que temos para AR representam um sonho muito alto porque somos defensores da ecologia e muitas vezes não temos aceitação, mas estamos confiantes”, defendeu. Massango disse estar optimista quanto a aprovação da candidatura do seu Partido, uma vez que “não apresenta muitos problemas” e desde já “vamos trabalhar” para suprir as irregularidades existentes antes de serem notificados pela CNE.

Enquanto isso, Verónica Macamo, mandatária das candidaturas da Frelimo disse que o passo subsequente é afinar a máquina eleitoral para garantir mais uma vitória do Partido e seu candidato às Presidenciais. Macamo reiterou, na ocasião, a vontade da Frelimo de reconduzir o seu candidato (Armando Guebuza) para a “Ponta Vermelha” (Presidência da Republica) com uma margem de votos muito mais alta que as que o elegeram em 2004. Por outro lado, a Frelimo pretende assegurar uma maioria absoluta no Parlamento. “Agora que submetemos a nossa candidatura, vamos afinar a máquina para vencer as eleições de 28 de Outubro de forma convincente. Nós apresentamos uma boa organização do trabalho e os processos estão em ordem, por isso acreditamos que seremos aprovados para concorrer”, afirmou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!