Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Educação alimentar entra no currículo escolar em Moçambique

A multinacional suíça Nestle irá apoiar o Ministério da Educação na introdução de aspectos ligados a nutrição no currículo escolar de Moçambique, particularmente ao nível do ensino primário, através de um programa chamado “Crianças Saudáveis de Moçambique”.

A intenção foi formalizada, Quinta-feira, em Maputo, através da assinatura de um memorando de entendimento pelo titular da pasta de Educação, Zeferino Martins, e o director da Nestle de Moçambique Limitada, Diogo de Sousa.

Falando momentos após a assinatura do memorando, Zeferino Martins disse que o projecto visa promover o consumo de produtos locais realçando o seu valor nutritivo; ensinar a preservar, armazenar e conservar os produtos alimentares; bem como promover a exploração de formas alternativas de provisão de água nas escolas a baixo custo e a reflexão sobre as questões de nutrição nos programas escolares.

“Os efeitos da desnutrição nas crianças atingem significativamente o sector da educação. Todos nós sabemos que o levantamento feito sobre o estado nutricional das crianças em Moçambique revela que, no país, 45 por cento das crianças abaixo de cinco anos apresenta um estado de malnutrição”, disse o Ministro da Educação.

Segundo o governante, esse problema tem implicações na aprendizagem dos alunos, nos seus resultados escolares e, de uma maneira geral, na qualidade do ensino, uma vez que uma criança malnutrida dificilmente pode ter bons rendimentos escolares.

Por sua vez, Diogo de Sousa considerou que a sua empresa está orgulhosa de poder contribuir para resolver a malnutrição em Moçambique, um dos problemas que tem vindo a assolar o país.

“Para nós, é importante fazer parte deste tipo de iniciativas porque não é só fazermos as coisas no papel, mas também ter a possibilidade de materializarmos os planos no terreno”, acrescentou o director desta multinacional.

De Sousa disse que esse projecto iniciou em Julho de 2010, com a realização de um trabalho de pesquisa juntamente com o Ministério da Educação no sentido de se apurar a realidade do estado nutricional nas escolas do país.

Apesar do projecto ter o objectivo de introduzir elementos de nutrição no currículo do ensino primário, a primeira etapa consistirá na formação especializada de professores desse nível.

Parte do material a ser usado já existe (providenciado pela própria Nestle), devendo a formação arrancar oportunamente.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!