Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

A Ntyiso wa wansati: E Aqui Vai Disto

Tu não me conheces bem, Carminho. Limpas- me as lágrimas e aturas-me os desabafos, tens-me em conta como uma boa amiga e uma pessoa de bem, mas tu não sabes do que eu sou capaz quando perco a cabeça e me dá para enfiar um murro ou dois numa gaja qualquer. Sou pequenina mas sou tesa e quando me enfureço fico cega, Carminho, literalmente cega; puxo o braço atrás, calculo o ângulo de projecção e ferro dois selos seguidos que as deixo estendidas no chão com se fossem feitas de areia.

Esta noite sonhei que encontrava a parvalhona da Soraya num desses bares da moda. Lembras-te de eu te falar da Patrícia, não te lembras? É aquela pirosa que começou a andar atrás do Manel ainda antes de ele ter saído de casa, uma alta, de cabelos ao caracóis pelas costas abaixo, em cachos, deve ter ido à Gulbenkian quando era miúda e enfeitiçou-se com o look das gajas nos vasos etruscos – bela colecção, a do Museu Gulbenkian, de vez em quando vou lá para refrescar ideias e procurar temas para os meus quadros – de maneira que, estava eu a contar-te que sonhei que encontrava a gaja num bar e lhe dava uma tareia da qual ela nunca mais recuperava.

Fecha a boca Carminho, não te espantes nem te choques, lá porque sou assim destravada não quer dizer que um dia te salte à boca. Descansa, só me dá para isto quando alguém me chateia até ao limite.

Como o Manel, que veio cá a casa outro dia sintonizar-me a televisão e começou a falar do jeito que a Soraya tinha para os filhos dele, como se eu não tivesse andado quatro anos a mudar fraldas e a dar biberões, feita estúpida de ama- seca sem remuneração, só para provar ao Manel que gostava dele, as coisas que uma gaja não faz por eles, está tu a pensar, mas olha que nem foi o caso, eu gostava mesmo dos miúdos e quando o Manel saiu de casa desferiu-me duas facadas no peito, a primeira foi sair assim sem mais nem menos e a outra, a pior, nunca mais me deixou ver os miúdos.

Olha que eu preciso de encher muito para me passar, mas quando me passo aqui vai disto, e foi assim que lhe espetei automaticamente um estaladão na cara que ele até voou, e teve sorte em não ter levado um murro como aquele que vou enfiar este fim-de-semana na Patrícia que anda mesmo a pedi-las.

Não te assustes, querida, isto já nasceu comigo, sou a mais nova de três irmãos e aprendi quase tudo com eles. O resto aprendi sozinha, nos filmes do Rambo e do Van Damme que o estúpido do Manel tinha a mania de alugar, eu a querer ver o Talentoso Mr Ripley e o gajo com a mania dos filmes de pancadaria. Ao menos aprendi alguma coisa nesses serões parvos de vida de casal que finge que é feliz quando já há pouco para dizer e fazer.

É como te digo Carminho, se apanho aquela gaja pela frente, fecho-me na casa de banho com ela e faço pontaria para que os cornos batam na caixa de metal do secador de mãos e depois lavo as minhas com sabonete líquido, tudo bem esfregado que é por causa das tosses.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!