Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Dunga admite jogo complicado, mas diz que não ficou feliz com o empate

Dunga admite jogo complicado

Cansado e num grande esforço entrou na sala de imprensa o selecionador brasileiro Carlos Caetano Bledorn Verri, o Dunga. Com arrastando os pés, no seu estilo de sempre, e balbiciando palavras imperceptíveis Dunga sentou-se para defrontar os jornalistas, particularmente os brasileiros. Desde que divulgou a lista de convocados para este Mundial que a relação do selecionador brasileiro e a imprensa do seu país tem sido um “guerra”, diga-se também mais estimulada pelo próprio Dunga e que teve o último episódio na conferência de imprensa posterior ao jogo com a Costa do Marfim onde chegou a insultar um jornalista.

Sobre o jogo o treinador começou por dizer que não saiu feliz do campo, disse ter sido um jogo complicado, e que esperava mais uma vitória só que Portugal veio defender “Foi um jogo difícil. A equipe portuguesa colocou-se atrás do meio-campo e dificultou a penetração dos nossos jogadores. Foi um jogo amarrado, com muitas faltas. As equipas não davam seqüência às jogadas. Mas, mesmo assim, tivemos duas ou três chances para fazer o golo.”

Confira os principais trechos da entrevista do técnico do Brasil:

Feliz com o resultado?

Dunga (D) – Não estamos felizes, pois queremos ganhar sempre. Mesmo com resultado a nosso favor, nós atacamos e equipe deles. Essa é uma característica do Brasil.

Ausências de Kaká e Robinho

D – Acho que são jogadores excepcionais. Mas eles também teriam dificuldades hoje (sexta). Talvez o Robinho acrescentasse mais pelos dribles, pois os espaços estavam reduzidos. Tivemos pouco espaço pra penetrar.

A escalação de Nilmar

D – É um artilheiro e tem velocidade. É um jogador rápido, tem características diferentes das do Robinho, que sentiu uma dor muscular.

Elano volta nas oitavas?

D – É seguro que ele joga. Está tranqüilo.

Substituição de Felipe Melo ainda no primeiro tempo

D – O Felipe teve uma torção. Era mais prudente ele não continuar até o fim da partida.

Muitos erros de passe do Brasil

D – É normal quando 20 jogadores ocupam praticamente a mesma faixa dentro de campo. Os espaços ficaram reduzidos. Nós forçamos pelo meio, eu gostaria que jogássemos mais pela lateral. Mas, pela ânsia e vontade de vencer, a equipa insistiu muito pelo meio.

Argentina? Só na final

D – Nós estamos pensando nos adversários que temos pela frente. Se o Brasil tem que se preocupar com eles (argentinos), eles também devem se preocupar com a gente. Eles devem se lembrar do resultado das eliminatórias (O Brasil ganhou na Argentina por 3 a 1).

Treino com crianças na véspera

D – Futebol é a alegria do povo. Copa do Mundo é um evento no qual não se tem religião, política, classe econômica… é só alegria. Sempre que for possível, nós vamos deixar o torcedor estar perto da seleção, principalmente as crianças. Estamos num local onde elas nunca viram esses jogadores. Todos nós já fomos criança um dia. Essa é uma oportunidade única pra eles verem esses jogadores de perto.

Lúcio ou Cristiano Ronaldo como melhor em campo?

D – Eu como treinador elegeria o Lucio, pois ele interceptou todas as bolas, organizou a defesa e saiu jogando. Mas quem escolhe deve ter visto algumas coisas boas no Cristiano. No jogo de hoje (sexta), ele não pôde demonstrar seu melhor futebol porque encontrou o Lúcio pela frente.

Média de golos baixa no Mundial

D – As equipes que perdem a bola voltam inteiras para defender. E a preparação das equipes está ser boa. Veja a Nova Zelândia, que não é tradicional. Conseguiu três empates. As equipas estão evoluindo dentro do passo de cada um, e não serão em todos os jogos que veremos tantos golos.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!