Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Dhlakama diz que 2010 foi pior e 2011 é de vitória

O líder do maior partido da oposição de Moçambique – a RENAMO –, Afonso Dhlakama, é de opinião de que 2010 “foi o pior e mais difícil ano” para os moçambicanos e promete a estes que 2011 “será de vitória”.

 

 

“O ano que termina foi o pior e mais difícil. (…) Queremos garantir que tudo faremos para que o ano 2011 seja o ano da vitória do povo moçambicano”, acrescenta Dhlakama, numa mensagem de 55 parágrafos distribuídos em oito páginas num total de 6940 caracteres.

2011 não é ano eleitoral em Moçambique e Dhakama diz que as mudanças no país ocorrerão “naturalmente” e “o povo moçambicano pela primeira vez sentir-se-á verdadeiro dono deste país”.

Ele acredita que a chamada “pérola do Índico” experimentará mudanças como as vividas nos EUA, na Bolívia e no Quénia e que por pouco aconteciam no Zimbabwe, não obstante a resistência das forças instaladas.

Afonso Dhlakama diz que em Moçambique “as mudanças ocorrerão naturalmente, não haverá o retorno à guerra. Haverá, sim, negociações com a FRELIMO e o seu Governo para a reposição da verdade neste país”.

“Fomos e seremos sempre os únicos preocupados com os problemas do povo, os únicos que estamos e estaremos sempre com o povo, enquanto os outros massacram, matam e escravizam o povo”.

Por mais de uma vez as autoridades moçambicanas já disseram que não há nada a negociar com a RENAMO depois de cumprido o Acordo Geral de Paz que foi assinado em Roma, em 1992, e que serviu para acabar com a guerra dos 16 anos e conduziu Moçambique às primeiras eleições gerais pluralistas em 1994.

De lá a esta parte oficialmente Dhlakama e a RENAMO são cilindrados nas urnas, mas o antigo líder guerrilheiro jamais assumiu as derrotas que lhe são atribuídas oficialmente e ao seu partido e nunca reconheceu os sucessivos governos da FRELIMO e seus candidatos presidenciais.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!