Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Dhlakama convida jovens a prepararem-se para o substituírem na liderança

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, instou os jovens que fazem parte das fileiras daquela formação política e outros que pretendem aderir à mesma a prepararem-se para assumir a liderança daquele partido.

Em discurso de abertura da primeira sessão ordinária do Conselho Nacional da Renamo, alargada aos delegados políticos provinciais, que decorre, desde Quinta-feira, em Nampula, Afonso Dhlakama disse que o encontro daquele órgão vai debater questões ligadas a perspectivas e progressões da juventude na liderança do partido, porque, na sua opinião, a juventude mostra ter capacidade para o efeito.

Lembrou aos presentes que começou a dirigir a Renamo (antigo movimento armado e hoje maior partido de oposição) aos 23 anos de idade, portanto, quando jovem, e “provou ter capacidade, uma vez que contribuiu para a introdução da democracia no país”.

“Meus amigos, temos jovens que não são da nossa idade, que precisam de olhar para a Renamo com perspectivas do que este partido poderá ser nos próximos 30 anos”, disse.

“O que eu era em 1977 com o meu colega André Matxangaissa? Éramos jovens inteligentes, com visão para frente. E, por isso, que aos 23 anos já dirigia a Renamo. É preciso que os jovens saibam que não estão na Renamo apenas para aumentar o número de membros ou reivindicar 20% dos assentos parlamentares”, sublinhou.

Dhlakama, líder do maior partido de oposição no país, instou os jovens a terem “perspectivas e olharem o que é que esse partido será nos próximos 30 anos”.

“Preparem-se para assumir a liderança do partido”, disse Dhlakama, citado na edição da Sexta-feira do “O País”.

Ainda no seu discurso de abertura do Conselho Nacional, por sinal o primeiro desde o 5º Congresso daquela formação política, realizado em Junho de 2009, em Nampula, Dhlakama revelou que o encontro vai tomar “grandes decisões” politicas, que vão permitir o pais conhecer uma “revolução” rumo a “democracia efectiva e boa governação”.

Disse que a estratégia da revolução só seria revelada logo que a imprensa abandonasse a sala, depois do seu discurso de abertura.

Ademais, Dhlakama fez saber que aquele encontro iria discutir, igualmente, as medidas punitivas ou de reconciliação com o grupo de deputados que, a sua revelia, tomou posse na Assembleia da República, o parlamento, violando as suas orientações.

Por outro lado, o líder da Renamo referiu que o objectivo essencial do encontro e delinear a estratégia para os próximos pleitos eleitorais.

Alias, sobre esse ponto, a delegada provincial da Renamo em Nampula, a deputada Lúcia Afate, chamou atenção aos presentes para reflectirem seriamente em torno das eleições autárquicas, porque, no seu entender, “o poder pequeno chama pelo poder grande”, numa clara critica de que a Renamo não se deve excluir das eleições autárquicas e das intercalares. A intervenção foi ovacionada pelos presentes.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts

error: Content is protected !!