Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Detido na Matola traficante de drogas procurado na Tanzania

Azziz Mudjedjero, tanzaniano e residente no bairro Dlavela, município da Matola, está desde quinta-feira detido na 7ª Esquadra da Polícia, indiciado de tráfico de droga. Trata-se de um foragido da cadeia de máxima segurança na Tanzania. Na altura da sua detenção, Mudjedjero, 33 anos, estava na posse de 15,9 gramas de cocaína e era portador de três passaportes e igual número de Bilhetes de Identidade (BI) de nacionalidades tanzaniana, brasileira e moçambicana, ostentando a sua fotografia, mas com nomes diferentes.

O indivíduo terá caído nas malhas da Polícia após ter ateado fogo numa residência de um suposto tio identificado apenas por Aly, no bairro de Khongolote, alegadamente por este lhe ter burlado um valor monetário não especificado. Azziz Mudjedjero é citado pelo Notícias a dizer que incendiou a casa de Aly porque este o burlou num negócio de venda de duas viaturas importadas da vizinha África do Sul. “Importava carros da África do Sul e, chegados a Moçambique, o meu tio levava-os para vender na Tanzania. Zanguei-me com ele após a burla, ocorrida em Dezembro do ano passado e, como forma de fazer justiça, incendiei a sua residência”, disse o jovem. Porém, distanciou-se da acusação de tráfico de droga.

No tocante ao porte ilegal de passaportes e BI`s falsos, Mudjedjero afirmou que todos são por ele usados, dependendo das circunstâncias. Explicou que para ter passaporte e BI de Moçambique pagou mil dólares norte-americanos a um indivíduo que não quis revelar a sua identidade para tratar os documentos. Em relação ao passaporte brasileiro, Mudjedjero afirmou que sempre o teve porque tem esposa e filhos a residirem naquele país sul-americano.

Segundo o porta-voz da PRM no Comando da província do Maputo, João Machava, investigações policiais concluíram que Mudjedjero terá ateado fogo na casa do seu presumível tio não por burla de dinheiro proveniente da venda de viaturas, mas sim de droga. Para Machava, Mudjedjero é um indivíduo bastante perigoso e pensa-se que seja cabecilha de uma rede de tráfico de droga para o país e outras partes do mundo. De acordo com o porta-voz, a embaixada da Tanzânia em Maputo indicou que o nome de Mudjedjero consta na lista dos foragidos da cadeia da máxima segurança naquele país vizinho.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!