Para continuarmos  a fazer jornalismo independente dos políticos e da vontade dos anunciantes o @Verdade passou a ter um preço.

Desconhecidos assassinam membro da PIC e um suposto falso Polícia em Maputo

Um elemento da Polícia que respondia pelo nome Ibrahimo Momad, afecto à Polícia de Investigação Criminal (PIC) na cidade de Maputo, foi assassinado à queima-roupa, na passada sexta-feira (06), no bairro do Alto-Maé, por pessoas ainda não identificadas. No mesmo dia, outro cidadão foi crivado de balas, na zona de Chiango, ao longo da Estrada Circular.

O primeiro homicídio aconteceu de madrugada, na Avenida 24 de Julho, em frente ao Restaurante e Discoteca Matchedge.

Testemunhas no local contaram que a vítima encontrava no interior da discoteca, de onde recebeu uma chamada telefónica supostamente para sair, tendo-se posicionado na berma da estrada, na companhia de uma jovem. A versão é corroborada pela Polícia.

Volvidos alguns minutos, pareceu um cidadão fazendo-se transportar numa viatura cuja matrícula não foi registada, disse Paulo Nazaré, porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM), acrescentando que o indivíduo em causa desceu do carro e iniciou-se uma discussão.

Após algum tempo, prosseguiu o agente da Lei e Ordem, “comparecera ou descera da mesma viatura um outro indivíduo empunhando uma arma de fogo do tipo AKM”, com a qual foram disparadas “cerca de 20 balas” contra a vítima.

Antes de cometer o homicídio, a pessoa que discutia com o agente da PIC empurrou a miúda arrolada no caso, supostamente para que não fosse alvejada. Tal situação levanta especulações segundo as quais a moça faz parte da quadrilha.

Suspeita-se que a discussão girava em torno da rapariga e os telemóveis foram recolhidos para perícia, segundo Paulo Nazaré, que não soube dizer, especificamente, se Ibrahimo Momad teria sido ou não assassinado em conexão com algum caso relevante que estivesse a investigar.

Na tarde da mesma sexta-feira (06), em Chiango, um outro cidadão apenas identificado pelo nome de Ramiro foi igualmente crivado de balas, com recurso a uma AKM, por gente ainda a monte. O malogrado, que supostamente se fazia passar por um membro da Polícia, viajava numa motorizada.

Paulo Nazaré, que falava à imprensa, sobre os dois assassinatos, no dia em que aconteceram, disse que Ramiro nunca foi agente da PRM”, mas nas suas incursões apresentava-se como tal.

Até ao fecho desta edição ainda não eram conhecidas as identidades nem o paradeiro dos autores do crime.

Refira-se que Chiango tornou-se uma zona apetecível para os malfeitores. Ali cometem-se assassinatos de mais variados estirpes.

Supostos raptores detidos

Enquanto isso, as autoridades da Lei e Ordem disseram a jornalistas que na quinta-feira (05) detiveram três indivíduos acusados de tentativa de rapto ao dono do centro comercial Tiger Centre, Gulam Rassul, na capital moçambicana.

Na mesma operação, foram recuperados dois carros supostamente usado nesse tipo de crime.

Técnica de saúde morta na Namaacha

Uma técnica de saúde de 28 anos de idade, cuja identidade não apurámos, perdeu a vida vítima de duros golpes à facada, protagonizados pelo próprios cunhado, de 21 anos de idade, a 01 de Janeiro em curso, em plena na via pública.

O suposto homicida, ora preso, acusava a malograda de intrometer na sua relação conjugal com a irmã da vítima.

O caso deu-se no bairro Chimuhluanine, no município da Namaacha, província de Maputo.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts

error: Content is protected !!